quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Aprendendo a gravar parte 4: volume e efeitos de volume


Vamos recapitular:
Na primeira postagem falamos sobre como ligar os instrumentos e sua aparelhagem ao computador
Na segunda postagem sobre como escolher um programa para gravar e o que é plugins
Na terceira parte falamos mais sobre plugins e auxiliares
Hoje falarei sobre o volume da gravação e os efeitos de volume.

Volume da gravação

Ainda hoje é um tema polêmico, pois o volume de uma gravação depende totalmente de sua saída da aparelhagem para a entrada da placa de som. O difícil de começar a gravar por conta própria é justamente a “experiência”, pois que já tem experiência de gravar em estúdio sabe exatamente que equipamentos comprar para fazer suas próprias gravação, e que não tem pode de início comprar um monte de equipamentos errados como eu fiz (apesar de já ter feitos trabalhos em estúdio anteriormente mas nunca prestei atenção neste detalhe) por isso o primeiro equipamento que você deve comprar para começar a gravar é sem dúvida o “pré amplificador”.
Hoje em dia, os pré-amplificadores não são mais aqueles “enormes trambolhos de rack” pois graças a gravação digital muito deles diminuíram e há vários tipos muitos bons que valem a pena olhar. O meu conselho para quem está começando a gravar em sem dúvida comprar o Behringer Mic 200/300/800 pois além de ser valvulado (trabalha com 1 AX7), tem phantom Power e pode ser usado em todos os instrumentos. Claro que existem outras marcas vai de você pesquisar. Aqui nesse link você vai ver vários tipos e modelos e preços. Por que precisamos do Pré-Amplificador? Para deixar nosso sinal de saída em pelo menos – 3Db para entrar na placa de som. As “mesas de som” também consegue deixar o volume alto de saída, porém se elas forem baratas você terá que forçar “todas as freqüências” (low,mid,high) para conseguir um bom resultado. Outros equipamentos que aumentam o volume de saída: equalizadores, compressor, pedais de boost, crossover. Pra quem pode gastar, o certo é fazer essa seqüência de equipamentos:

Instrumento --» Mixer --» Compressor --» Equalizador --» Pré-Amplicador --» Line in (placa de som).


Outro acessório já comentado é o “direct Box”, para regularmos o nível de saída na entrada de som, principalmente quando só temos uma fonte de amplificação de volume.

Efeitos de volume

Os efeitos de volume são justamente os projetados para dar volume na saída e podem ser racks, pedais ou plugins. A diferença é que quando é rack podemos controlar direto o dB de entrada/saída além de ser algo físico e já o plugin só pode modificar o som do que está gravado, podendo até aumentar o volume porém com maior risco de distorção dependendo a qualidade da sua placa de som e computador.

Noise Gate – O Noise gate ou NS é um efeito criado na década de 80 para resolver um dos pesadelos dos produtores de gravação: ruídos antes e após a trilha. Usado para tudo porém ele “não elimina ruídos onde a trilha está gravada” apenas deixa em silêncio um instrumento quando não estiver sendo usado e as pausas da mesma.
Prós – É obrigatório seu uso para deixar em silêncio tudo que não estiver sendo usado.
Contras – Pode causar “pump” (efeito de ficar pulando o som como um cd riscado), mal usado tira completamente um som de fase além de atrasar o mesmo.
Para entender com funciona o NS clique aqui


Equalização – Como nome já diz, isso é o que define a música. A maior diferença entre um som amador e som profissional é maneira que você irá equalizar o mesmo para resolver os “conflitos de freqüências”. Existem três tipos de EQ que veremos separadamente. Esse é sem dúvida o fator mais importante da mixagem, pois toda a solução de conflitos de picos, freqüência e mascaramento do som vem daqui, por isso farei pelo menos 2 postagens sobre isso.
Prós - É obrigatório seu uso para abrirmos s om.
Contras – Mal usado “destrói” a música!

Exciter – Usamos o mesmo para dar volume a um freqüência pré definida entre grave, médio e agudo, muitas vezes pode substituir algumas funções do equalizador.
Prós – Abre o som e o deixa audível.
Contras – Difícil de aprender e chegar em bom resultado.

Compressor/Limiter – Os compressores são usados para deixar picos forte e fracos todos no mesmo volume. O Limiter faz a mesma função, porém é mais usado na mixagem final.
Prós - Abre o som e o deixa audível.
Contras – Mal usado “destrói” a música!
Pra entender todo funcionamento do compressor clique aqui

Na próxima postagem iremos falar sobre equalização.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!