segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Aprendendo a gravar parte 3: auxiliares e plugins

Agora que você escolheu o programa, vamos falar sobre auxiliares e plugins de efeitos.


Quem acompanha esse blog, isso não é novidade, pois já falei sobre isso nesta postagem porém aqui vou detalhar melhor.

Auxiliares

A entradas ou saída auxiliares são como “racks” de plugins. O nome disso vária de programa para programa:

No Vegas/Acid são conhecidas como “Aux Bus”, assim como no Cubase aparecem abaixo da tela, porém o Vegas/Sonar há opção de plugin padrão na própria pista (geralmente são Noise Gate, Eq, Compressor). No Sonar p seu nome é “Send Effect” aparecem do lado da trilha e no mixer, e no Fruit Loops, aparecem do lado mixer com números (1,2,3,4). Geralmente um Plugin de EQ é padrão nos auxiliares.

Máster

É a série de plugins que afeta toda música, assim como numa “mixagem final”.

Plugins de Efeitos

Assim como os efeitos em racks, pedais e gabinetes os plugins foram criado justamente para fazer o mesmo processo porém digitalmente. A diferença brutal entre um plugin e uma unidade de efeito é que quando usamos um “rack de reverb” por exemplo, ficamos dependente apenas da conversão A/D (Analógico/Digital) onde esses valores já definidos manualmente pelo mesmo, já um “plugin de reverb” irá acrescentar o efeito na nossa trilha “matematicamente” ou seja, usará dados programados para processa-lo por isso ficará totalmente dependente do computador e placa de som que você possue. Uma desvantagem é que por mais que aperfeiçoem os plugins, eles ainda não conseguem imitar uma válvula. Também já comentei aqui (http://palcokh.blogspot.com/2009/03/as-perguntas-mais-frequentes-da.html) porém vou detalhar melhor cada um deles.

Os plugins DX foram desenvolvidos pela Microsoft para dar suporte aos programas de áudio com o auxílio do Direct X. A vantagem deles que os mesmos são mais leves de rodar que o VST e o RTAS em tempo real, mas a desvantagem é que sua conversão não é exata. Muitas vezes o som que fica na trilha não é o mesmo que você ouviu no Aux em tempo real.

Os Plugins VST/VST3 foram desenvolvidos pela Steinberg são superiores aos plugins DX, pois usam a partes do computador para processá-lo. A vantagem é que sua conversão é exata, a desvantagem dependo o computador que está usando ele irá “travar” quando você rodar a trilha em tempo real (dependendo o número de plugins)

Os Plugins RTAS foram também desenvolvidos pela Steinberg e são considerados os melhores por fazer tudo em tempo real, porém só funcionam em Pro tools e com um “supercomputador”.

Os plugins DXi foram desenvolvidos pela Microsoft. São instrumentos sampleados para deixar a trilha MIDI com ar de instrumentos real. Sua desvantagem é que poucas plataformas aceitam roda-los e os timbres ficam inferiores ao VSTi.

Os Plugins VSTi foram desenvolvidos pela Steinberg. São instrumentos sampleados para deixar a trilha MIDI com ar de instrumentos real. Sua vantagem em relação ao Dxi é mesma coisa que o plugin VST em relação DX, incluindo suas desvantagens.

Vale a pena lembrar que geralmente quando se instala um plugin, o mesmo tem a opção para roda-lo em todos esses formatos.

Na próxima postagens falaremos dos efeitos.

Abraços!

Um comentário:

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!