sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Aprendendo a gravar parte 2: programas e volume do windows

Para continuar nosso curso de gravação, primeira mente você deve conferir se seu windows está ok, após ligar a aparelhagem na placa de som:

No Windows
: Não basta ligar tudo e começa usar. Você deve ver se todos os drivers da placa de som estão funcionando e principalmente como está as ligações no Windows.


Vamos ver como se faz isso:

1)Vá em Inciar – configurações – painel de controle
2) Abra o menu Sons e dispositivos de áudio
3)Vá na aba áudio e verifique se está selecionada sua placa de som no menu “dispositivo de reprodução” e “dispositivo de gravação”.
4)Ative a opção “usar somente dispositivos preferenciais”


Agora vá no canto da tela, até onde há o “falante e clique duas vezes” volume principal:

1)Verifique se a opção "line in" ou Linha "está habilitada.
2) No menu "opções" mude de "reprodução" para "gravação"
3)
Verifique se a opção "line in" ou Linha "está habilitada.
4)Se está usando a entrada do microfone verifique se opção "mic in" está ativada
5)Se não estiver conseguindo "visualizar" verifique se no menu "mostrar os seguinte itens do controle de volume" a opção para aperecer o line in ou mic in está marcada.
6)Se não estiver conseguindo ver em opções reprodução/gravação verifique se no menu "dispositivos do mixer" tem sound board input (gravação) e sound board output (reprodução)

O que são plugins?
Assim como os estúdios grandes possuem racks, os plugins são “racks virtuais” que podemos modificar o som (compressores e equalizadores), colocar efeitos e finalizar a música. Ainda existe alguns que acrescentados a linha MIDI (instuments) simulam instrumentos. Vamos a eles:


VST (Virtual Studio Technology)
VSTi (Virtual Studio Technology Instrument)
DX (Direct X)
DXi (Direct X instrument)
RTAS (Real Time AudioSuite, somente Pro tools)

Desde 2003 a Steinberg disponibiliza o Driver Asio gratuitamente nesse link http://www.asio4all.com/ . Esse driver foi inventado para tirar maior proveito do driver WDM (Windows Driver Model) na parte de áudio. Obrigatório seu uso hoje em dia.

programas

Na postagem passada falei como ligar o seu equipamento no computador. Agora falarei sobre os programas que usamos para gravar. Na verdade existem vários programas para gravar, eles se dividem em “programas de masterização” e programas “multitrack”. Cabe a você fazer a escolha do programa que lhe mais agrade.

Programas Muti Pistas (DAW)
Esses programas são famosos por substituir as “mesas de som” no computador. DAW é sigla pra "Digital Audio Workstation" que seria “estação de trabalho de audio" o popular "programa multi pista” ou seja, podemos usar várias pistas para gravar. Esses programas rodam plugins em tempo real (dependendo o processamento da sua máquina) além de fazer “automação”. Os mais famosos são:


Pro tools – O pai da gravação digital e o melhor.
Prós – O melhor de todos os programas, profissional ao extremo e o único que roda o plugin do formato RTAS, projetado para tirar o máximo de som de um plugin fazendo aplicação de memória e projeção de som.

Contras - difícil de operar no início, porém precisa de um equipamento “muito bom” para tirar proveito dele. Geralmente é só vendido com pacotes completos de “estação de gravação digital” com computadores Macintosh o que torna meio difícil de encontrar para PC, quando encontrado alguma versão geralmente trava ou precisa de uma “super máquina”. Você só consegue comprar o mesmo com pacote de hardaware incluso.


Cakewalk Sonar – O mais conhecido de todos.

Prós - de fácil operação, rápido para começar a gravar, manipulação midi de fácil acesso, manipulação de vídeo, fácil acesso a plugins VST e DX.

Contras - muito uso de memória, famoso pelo “drop outs” que trancam o som do nada, difícil de manipular plugins VSTi e Dxi, meio complicado de configurar.

Cubase – O segundo programa mais conhecido, pode ser chamado de “pro tools” de PC.
Prós – De fácil operação, manipula midi, vídeo, roda todos os plugins existentes (menos RTAS), acesso fácil aos plugins.

Contras – Bem complicado de começar a gravar com o mesmo sem uma instrução decente, precisa de um bom computador e driver Asio.

Sony Acid – Projeto para DJ, mas usado por muitos músicos e estúdios.
Prós – assim como seu irmão Vegas, muito fácil de operar, tem um baixo uso de memória e é o mais fácil de todos de acessar os plugins VSTi.

Contras – trava do nada, complicado para configurar certas placas de áudio, precisa de uma instrução decente.

Sony Vegas – Para mim o mais fácil de mexer com aúdio além de mexer com vídeo.
Prós – 2 programas em 1: estação de áudio e vídeo profissional. Até as versões atuais são leves e muito simples de usar.

Contras – como não é um programa específico de áudio falta implementação midi e VSTi, certos plugins vst não rodam e nem aparecem em sua lista de acesso, precisa de uma instrução decente.

Fruit Loops – Projetado para os DJ porém graças a sua manipulação fácil de som é usado por todos músicos de vários estilos
Prós – fácil de compor bateria, baixos e cama com samples real. Vasta gamas de som prontos, roda todos os tipo de Dx, Dxi, Vst, Vst3 e Vsti, possue um loop de alta definição e exportação de arquivo *.wav em alta definição 32 bits float. O melhor de tudo não trava com uma série de plugins interligados.

Contras – bem complicado de aprender. Você precisará de manual ou de um curso.Complicado de gravar áudio.

Outros programas conhecidos são:Cool Edit pro, Reaper, Nuendo, Ableton.

Mais informações:

http://www.audiojunk.net/search/label/D.A.W.

Programas de masterização
São chamados assim pra você fazer a “finalização” da sua música, e por também usa-lo para trabalhar com uma pista em particular quando necessário.
Eu uso somente 2 (assim como a maioria) por isso vou falar deles que soa bastante populares:

Sony Sound Forge: o mais usado do mundo, muito fácil de aprender e manipular.
Prós: rápido de entender e sair trabalhando.

Contras: não roda todos os plugins VST, não possue analisador de espectro próprio, não há como colocar plugins em cadea (um atrás do outro)


Wavelab: programa famoso da Steinber fabricante do Nuendo e Cubase.
Prós: roda todos os plugins, plugins pode ser feito em cadea, masteriza CD usando 32 bits float, analisadores próprios.

Contra: complicado de entender no início.

Mais informações:

http://www.audiojunk.net/


As versões “demos” desse programas estão disponibilizadas no site do fabricante.
Na próxima postagens, aprenderemos como a gravar.

ATé!




3 comentários:

efsbio disse...

Parabéns, pelo seu empenho. Glória a Deus, que Ele o abençoe, em nome do Senhor Jesus.

Estava procurando saber sobre como gravar e equalizar apenas voz e violão ao computador. Tem algum material direcionado, são apenas dois canais. Deve ser mais simples, não? Fica na paz.

Daniel Barreto de Azevedo disse...

Caro amigo, fico grato pela riqueza de informações e detalhes aqui usados, mas tenho que discordar quando você diz que no sound-forge não da pra usar plug-ins em cadeia, pois tenho certeza que dá sim.

Quando abrir uma trilha, na parte de baixo no canto esquerdo existe um sinal de player, outro de avançar e outro de retroceder, mas, tem outro player com um sinal verde, é aí que está a cadeia de plug-ins em tempo real ainda mais, boa-sorte e parabéns.

rapnacional disse...

Parabéns. Muito bom.