terça-feira, 28 de outubro de 2014

Teste de plugin: Jam Origin Midi Guitar

http://mlb-s1-p.mlstatic.com/captador-hexafnico-guitarra-casio-midi-mg510-pg380-14109-MLB2770842169_062012-O.jpgTem duas coisas que marcaram quando comprei a minha primeira guitarra (que era uma Giannini Stratojet) a primeira foi um pedal distorção "marca diabo" que chamada "heavy metal" que fazia um ruído "insuportável para o ser humano" como dizia meu primo (tanto que o pedal teve seu destino selado quando de tanto ruído taquei o mesmo contra parede) e a segunda era um professor de guitarra que estava demonstrando um novo produto da loja: um sintetizador  de guitarra Roland GR (não sei se era o 20 ou 5) e eu meu primo ficamos maravilhados com som de piano, flautas, sopros que saía pelos falantes. Quando comprei minha primeira pedaleira (a excelente Boss ME-8) fiquei triste por que não saía som de piano! E até descobrir que eu precisava de um captador "hexafônico" (como na guitarra aí da foto ao lado) ligado a um sintetizador, módulo ou computador para produzir aqueles sons que ouvi na loja já tinha aprendido a tocar teclado. Porém de um tempo para cá comecei a sentir a falta de usar a guitarra para reproduzir outros instrumentos (principalmente quando estou compondo) e fui atrás desses captadores e descobri o que antes era fácil de comprar (acho que perdi umas 5 oportunidades de comprar um deles) ficou complicado pois apenas importando você consegue um. Então fui ver os http://geargods.net/wp-content/uploads/2013/12/jam-origin-midi-guitar.jpgpreços de guitarras midi (que são guitarras que vem com esses captadores) e descobri que a mais barata no brasil não saí por menos de 3 mil!
Porém desde o ano passado existe um software/plugin que tenta "realizar" o sonho da "guitarra midi" sem o captador hexafônico, o Jam Origin Midi Guitar é o primeiro software que realmente "funciona" sem o captador. Já tinha testado outros mas todos eram muito "experimentais"  e esse software realmente trás o som "midi" para a guitarra que embora não seja "100% perfeito" já está de bom tamanho comparando que nada antes havia para os guitarristas, baixista e violinistas  tocarem sons de piano, sax, orgão, pads e até bateria em seus instrumentos sem precisar de um adaptador especial.


Conhecendo o plugin
Primeiramente você deve baixar a versão gratuita no site clicando aqui para Windows ou Mac OS (tem até uma versão para Iphone) quando baixar, o arquivo vem compactado e ao "descompactar" basta executar a versão para 32 bits (x86) ou para 64 bits (x64). Ele é "full stand alone" ou seja, basta apenas clicar que ele começa a rodar, porém para instalar o plugin VSTi basta fazer como qualquer plugin gratuito: apenas colar na pasta /vstplugins. O software simula uma saída "midi virtual" como se sua guitarra estivesse usando um captador hexafônico e algo bom que ele possui além do baixo consumo de CPU é que basta apenas uma guitarra ligada na entrada  de uma plca som (mesmo onboard) com o driver ASIO para sair tocando. A versão gratuita trás apenas dois sons: o primeiro é do plugin vst MDAPiano e o segundo um plugin simula o famoso Yamaha DX7. O bom é que já na versão paga (US$ 99) você pode usar qualquer plugin VSTi (instrumento virtual) ou VST normalmente já que a versão gratuita aparece "ruídos e cortes" comuns nessas versões.

Preparando para testar
Quando você pluga a guitarra e roda o plugin em cima é necessário fazer "vários ajustes" para ele rodar corretamente (e não há nenhum preset que ajude) pois esse plugin não é como o "Guitar Rig" ou "Amplitube" que basta "plugar e tocar", ele requer muitos ajustes para você conseguir fazer o mesmo funcionar corretamente como mostrado no vídeo abaixo ou nesse link.



Outra coisa que chama a atenção é que ele precisa de uma guitarra com um captador relativamente "forte" (como um super distortion da Dimarzio ou JB da Seymour Ducan) para fazer o som soar corretamente sem atraso (um dispositivo de entrada como um compressor ou até uma pedaleira podem ser também bastante utéis) no meu caso eu testei o plugin com minha Tagima 635 que possue captadores Dimarzio e usei como entrada um pedal Boss CS3 (compressor) e um pré - válvulado da Behringer (o Mic 100) e também uma pedaleira Vamp 2. Sem o ajustes necessários acontece muitos "atrasos" como mostra esse vídeo:


Aqui o guitarrista usa acordes inteiros porque realmente a uma diferença muito grande de som mesmo você  ajustando a latência no mínimo, porém o programa avisa (com um triângulo com uma ! no meio) que o parâmetro está desregulado e por isso dá o delay. Porém para chegar a um parâmetro "prefeito" é necessário ajustar "nota por nota". No video abaixo veja a comparação do plugin (previamente ajustado) com um sintetizador de guitarra da Roland:

   Plugin Midi Guitar


 Roland GR20

Você notou o tempo de resposta? O Sintetizador é bem mais rápido, mas estamos falando de uma pedaleira de R$3000 contra um plugin de R$ 250! Nesse ponto o Midi Guitar tem uma ótima relação custo benefício. Porém o pior problema é ajustar o mesmo. Essa postagem do site  SOS ensina como ajustar corretamente.

Testando!
 Mesmo você colocando plugins VSTi e ouvir eles com ruídos (porque é a versão gratuita) você tem uma base do que o Midi Guitar é capaz e depois dos ajustes necessário testei o plugin.
Primeiramente com a música clássica "Ode a Alegria"  com um som de "strings" do VSTi Virtual Sound Canvas, em seguida   "Pour Elise"  usando o som original do Midi Guitar (MDA Piano), em seguida um tema bem famoso do cinema   "Axel F. Theme" usando o VSTi  Firebird "SynthBrass" e outro tema também famoso do cinema "Blade Runner End Theme" com o VSTi Jupiter 8 "PadBrass". Após isso veio as músicas mais rock como "Perfect Strangers" (VSTi Organ  NI B4), "Rádio Pirata" (VSTi NI FM8),   "Vagabundo Confesso" (VSTi Cakewalk SI) e os sons de baixo  todos usando o VSTi Boombastick Bass: "Town Sayer" (moog pedal bass) e "Keep the Faith" (Musican Man Sabre) e finalizando  as músicas eletrônicas como "Who´s Thats Chick"  e  "Whats Love" usando o próprio sintetizador que o plugin oferece mas ele requer um certo cuidado para você tocar. Primeiramente você tem que entender a "duração das notas" para uma melhor performance (se você fugiu das aulas com metrônomo  é melhor repensar quando usar o Midi Guitar) e essa foi a parte que não gostei do plugin: alguns acordes soam bem, outros nem tanto (como um powerchord), os ritmos tem que soar mais do que "ritmar" mais (não dá para tocar como se fosse uma guitarra) e os baixos no estilo disco music ou qualquer tipo de música eletrônica (seja oitavado ou sincopado) tem a mania de cortar o som e ficar mudo. Fora isso por exemplo, um som de "trumpet" sai bem melhor do que num sentetizador porque os "bends e trêmulos" da guitarra são mais precisos. O som de piano também é muito exato, tanto que comparação com o meu sintetizador Yamaha XG630 ele soou igual.
Talvez essa seja a melhor parte do Midi Guitar: ter os instrumentos a mão principalmente na hora de compor. Um exemplo disso é que a função "virtual midi" funciona tão bem no sonar que dá para gravar trilhas midi com software e para mim é uma "mão na roda" já que praticamente faço todo meu trabalho em midi.

Conclusão
O Jam Origin Midi Guitar ainda não é perfeito, falta resolver algumas coisas que não acontece com captadores hexafônicos principalmente no que se diz ao "real time" porém vale lembra que essa é a versão 1.0 é que o plugin até agora só teve apenas "upgrades". Provavelmente irei comprar a versão "full" pois ele é um plugin que vale a pena ter em sua coleção. Se você toca guitarra, baixo, violão ou violino vale a pena baixar o Midi Guitar e se aventurar um pouco no mundo dos sintetizadores!!!

Boas gravações!!!







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!