sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Composição: ta sem idéia? Faça uma versão!

http://img.youtube.com/vi/vPzDTfIb0DU/mqdefault.jpgUma vez Sandy Lima (a ex-Sandy&Júnior...kkk) falou uma das maioresverdades sobre compor: é como um filho que a gente pari... Assim como Ed Van Halen (guitarrista do Van Halen) falou que muita gente (nos anos 80) achava que fazer música (rock) era deixar o cabelo crescer e solar o mais rápido possível (daí nasceu o termo Shared) mas que na verdade era tão difícil quanto ir numa faculdade de direito. Essas são inúmeras historias  que encontramos por aí sobre composição e agora vivemos numa época onde quem está na mídia geralmente não compõe (sempre estão “peneirando” por aí) e quem compõe está no meio dos “zilhões” dos vídeos da internet com “poucos likes”, porém a uma coisa que você pode fazer para chamar atenção do público seja fazendo um show ou postando um vídeo numa rede social: é fazer uma versão de uma música famosa.
Essa é a estratégia mais “praxe” pra quem quer tentar entrar no disputado mundo da “música midiática”  e devido a ser tão usada (principalmente nos tempos de sertanejo universitário) fica cada vez mais difícil chamar a atenção e por isso a postagem de hoje vamos tratar desse assunto.

O que você ganha ao fazer uma versão?
Uma versão pode chamar a atenção dos ouvintes, mas principalmente força a sua “criatividade” pois conseguir fazer “melhor” do que original (dependendo a música) é sempre um desafio e abre muitos caminhos.

Direitos Autorais
http://www.redefonte.com/wp-content/uploads/2012/03/You-tube-ecad.pngO maior problema de uma versão é os “direitos autorais”.  Muitos cantores e gravadoras até deixam o pessoal botar na internet “suas versões” de uma música pertencente a eles desde que não “seja para distribuição” comercial. O problema é que tem gente que não concorda com isso e possivelmente sua gravação não irá “sobreviver na rede”  e por isso muita gente prefere “regravar” músicas lá de “mil novecentos e antigamente” porque é mais difícil tirarem. Aqui só tem duas saídas: ou você coloca seu vídeo na rede e deixe “que a sorte decida” ou ver quanto “custa os direitos autorais da música”. É sempre bom colocar que é uma “homenagem” ao cantor/banda ou ainda “que a versão não pode ser distribuída nem comercializada” no seu vídeo, porém também não dá garantias de que será removida da rede por isso ainda o melhor deixar bem claro que é “côver” da música mesmo sendo diferente!

Não faça igual, faça diferente!
Pegue no You Tube e digite “música Nova Iorque” e você vai ver que todas são iguais, de duplas mais famosas (como Victor &Leo) até o “Zé Francisco da Silva” sendo que a mais diferente que você irá encontrar é uma versão rock cantada pelos cantores originais da música: Chirstian &Ralf!
http://data.whicdn.com/images/38237172/386411_338375162840155_1822278812_n_large.jpgA internet não é igual a se apresentar em público, você precisa de um “tempero”. Muita gente fica “rebolando”, outros ficam fazendo “palhaçadas”, outros tem amigos, outros tem “um super talento” e caem nas graças do povo e outros que não tem “nada” fazem uma paródia de uma música famosa e vão parar até no SBT! Enfim se você quer chamar atenção faça algo diferente! Quando falo isso digo em colocar um outro arranjo, subir/baixar o tom, colocar uma strofe nova, um outro ritmo, enfim como essa “dupla” fez com o “Shows da Poderosas” da Anitta, a transformando num “Jazzy Bossa”

 Viu o número de acessos e “likes”? Faça uma coisa diferente pois senão o ouvinte irá preferir escutar a versão original da música do que dar “uma chance” para sua!

Versões internacionais
Hoje em dia esse tipo está “meio avacalhado” principalmente por conta do sertanejo e das bandas de forró (que ao invés de seguirem a letra fazem coisas totalmente diferente) porém ainda chamam a atenção. O segredo de uma “versão internacional” é “não fugir” do conteúdo da letra ou permanecer na mesma. Por exemplo música fala de “amor” falar de “amor”, se é de revolta “falar de revolta” dá até para mesclar as duas (a versão do português com a outra língua) ou ainda passar do português para outra língua, mas não dá para fugir “muito” do tema original . O melhor exemplo foi essa dupla serteneja que tentou “dar uma de esperta” fazendo uma música de “cornação” em cima do clássico “The Wall” do Pink Floyd e o “tiro saiu pela culatra” (de uma olhada na quantidades de “deslikes”)



Parodias
Na minha opinião acho uma “aberração” quando uma paródia ganha tanto destaque quanto a música que ela está parodiando (até o SBT agora está promovendo concurso de parodias  veja aqui como funciona , porém essa é somente a minha opinião você pode gostar ou não. Tirando ela, parodias podem ser sim um “chamariz” para sua carreira e assim para suas músicas  pois se você fazer ela “direito” pode deixar um “trampolim” para o ouvinte ouvir suas músicas. Como por exemplo o “Show dos metaleiros” uma parodia da música da Anitta “feita nos mesmos moldes do clipe” que foi até premiada pelo próprio Sílvio Santos!


versões famosas que ficaram muito boas!!!
5.Não chores mais – Gilberto Gil (versão de Woman no cry – Bob Marley)
4.Knock on heavens door – Gun´s Roses (original: Bob Dylan)
3.Jardins da babilônia – Barão Vermelho (original: Rita Lee)
2.Easy - Faith no more (original Leonel Ritchie)
1.O Passageiro – Capital Inicial (versão The Passenger - Iggy Pop)

Boas gravacoes!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!