segunda-feira, 4 de agosto de 2014

10 meias verdades sobre gravar em casa

 Todo mundo tem muita mania de “complicar” qualquer coisa em música e esquecem que ela é uma coisa que tem que ser feita “naturalmente”. Em gravação não é muito diferente. Ao longo do caminho e principalmente com a internet você escuta um “monte de bobagem” com algum ou sem nenhum fundamento e assim ouvindo e vendo isso separei 10 coisas muito comuns que você escuta por aí sobre gravação e que na verdade não passam de “meias verdades”. Cada item tem um vídeo para você tirar suas próprias conclusões!!!

 1)Simulador de Microfone 
Assim como os “simuladores de captador” (para guitarra) simulador de microfones não fazem seu “microfone do DVD-De-Karaokê” virar um Neumaw Gold, isso é uma coisa lógica! Simuladores de microfone dão um “boost” na voz e servem como compressor e até um descompressor, mas não passam disso. Outra função dele é pegar seu microfone é tentar fazer ficar “equivalente” ao microfone simulado (tentar imitar a figura da cardióide, a equalização) e uma coisa interessante: assim como os plugins de guitarra ele funciona “melhor” se você tiver um bom microfone!



2)Plugins de guitarra não funcionam 
Esse é outro mito. Plugins de guitarra realmente funcionam mas quando você tem o “equipamento de entrada” certo! Muita gente fala mal deles justamente porque não usam o equipamento “correto de entrada” e assim como uma “pedaleira” eles funcionam muito bem quando há algo por trás deles! Como nesse vídeo feito por ninguém menos que Dweezil Zappa usando o “Guitar Rig 4”



 Muito fácil sair esse som quando você “tem equipamentos bons” ligados ao computador (sem contar que a Guitarra dele é uma Gibson SG) isso só demonstra que plugins de guitarra pode substituir “pedaleiras” (até as mais caras) numa boa (mas vai demorar para substituir um “Stack Marshall” bem microfonado)porém agora se você quer tirar o mesmo som usando sua “guitarra de Xing ling” e com um computador sem placa de som profissional, vai ser bem difícil. Todas as minhas gravações de guitarra/baixo/violão são feitas com simuladores de amplificador (Revalver MK3, Guitar Rig, Amplitube) mas o que eu comprei para a gravação “ter qualidade” equivale há um “amplificador valvulado”! Eles podem não chegar perto de um Amplficador valvulado mas muitos dão de “7 a 1” em qualquer pedaleira!Outro exemplo é esse vídeo onde meu amigo Victor fez todas as guitarras com o Amplitube 3 nessa música:





3)Autotune, harmonist, melody ou vocoder corrige qualquer um que é desafinado.
Outro mito dos mais furados pelo simples fato que esses efeitos “procuram alcançar a tonalidade” e não corrigir a mesma! Claro que um monte de cantores atualmente na mídia usam autotune, alguns mais leves e outros com um uso “bem pesado” como na minha música "Feel the Beat" onde todos as nuances do autotune são ouvidas no final: O resultado é que a voz não fica “desafinada” mas também não fica “perfeita” (na verdade lembra aqueles vídeos de cantores de banda de forró que adoram usar o autotune assim) e para você ver se um cantor/cantora usa ou não autotune só ao vivo mesmo (e olhe lá, visto que há processadores deles para palco sem contar no fato do playback). Então se você canta mal e acha que o autotune é a solução, é melhor tomar umas aulas de voz ou comprar um “jabá”!



4)Para gravar você precisa só de uma DAW 
Esses dias um amigo meu gravou tudo numa “mesa digital” e me pediu para instalar um programa no seu notebook para “masterizar” já que a mixagem ele feito no próprio mixer. Ele me pediu o Sonar eu rebati dizendo que para masterizar só é preciso do Steinberg Wavelab então ele me disse: porque o sonar é um programa feito para gravação! Isso é uma coisa bem comum, achar que um programa DAW vai fazer tudo o que você quer e esquecer dos “componentes de E/S” (entrada /saída) para gravar o áudio. Não se iluda!Uma boa gravação começa com o “equipamento de entrada” e infelizmente quanto melhor, melhor será sua resolução. É o resto? Você pode escolher qualquer DAW para gravar/mixar/masterizar desde que você compreenda ela bem, como disse um engenheiro de som numa vídeo que vi uma vez: “choose your platform” (escolha sua plataforma) e o resto é resto.



5)Você precisa só de uma placa de som boa.... 
E de um monitor de referência real!Casualmente chamador de “monitor de áudio”. Já vi/ouvi amigos que gravaram em um bom estúdio, com uma interface E/S e com uma boa placa de som. Só que o estúdio não tinha um “monitor” bom e o resultado é que daí a música “não casa as freqüências” em nenhum lugar, apenas no aparelho onde foi mixado e muitos até desistem de continuar gravando devido a esse dealhe. Você pode até mixar “razoavelmente bem” com as caixas que tem agora, mas cedo ou mais tarde terá que comprar um “monitor de referência real”!



6)Qualquer equipamento serve, o computador faz o resto. 
O computador facilita a gravação, a mixagem, a masterização, a produção.. Mas não é um robô e não faz tudo sozinho! Ao menos que você tenha uma estação Pro Tools (que vem junto até um Macintosh de brinde)será muito difícil você conseguir um som sem um equipamento E/S decente. Fora isso o computador (nem mesmo uma estação Pro tools) consegue corrigir erros de afinação, destonação, instrumentos tocados “fora do tempo”, erros de execução... Pode enganar... Mas não pode corrigir!




7)Você precisa mais de ouvido do que conhecimento
 Isso é perfeita desculpa do “músico que é músico” mas não entende nada de gravação. Pra começar os melhores “engenheiros de som” (cujo muito artistas gravado com os mesmo ganhou muitos prêmios) não são músicos! Muitos nem se quer sabem assobiar! O ouvido ajuda muito mas ter conhecimento “evita” que você faça 100 ajustes enquanto são necessários apenas 10! Estudar sempre é solução nunca complicação!




8)Não se usa mais reverb na voz
 É isso que todos acham, mas o que aconteceu é que a “quantidade de reverb” diminuiu muito dos anos 90 para cá. Hoje em dia alguns até preferem gravar em “salas grandes” e usar o reverb natural ou colocar um reverb em “sidechain” para mesclar com a voz. Mas o fato é que se não há reverb será meio difícil a voz casar com os instrumentos. Escute a voz isolada de "Lady gaga" em "Bad Romance" e escute o festival de reverb incluindo outros efeitos!!!



 
9)Plugins resolvem tudo 
Plugins foram feitos para aprimoramentos e correções de programação. Um plugin de áudio não funciona se não houver uma gravação decente com pelo menos “próximo ao tempo BMP” possível e com uma boa interface de áudio para compilar isso. Fora isso o que você terá uma “panela flangeada” de som tentado imitar algo! Você pode achar que tudo naquela “cantora gostosa” é efeito, porém mesmo sendo ruim certas coisas não são. Tudo tem o seu limite de coerência.  A melhor maneira de demonstrar isso é ouvir a música de Helio dos passos, "Morena do Rio do Turvo" um hit do you tube!!!



10)Para deixar o som na cara basta apenas comprimir 
 O que deixa na cara não é a compressão e sim 4 fatores: volume, pan, equalização e compressão (o quinto seria ambiente ou seja tudo no mesmo lugar). Quando você conseguir fazer tudo isso em “sincronia” terá aquele “som comercial” que tanto almeja encontrar!!!






 Boa semana!!! 
Ótimas gravações!!! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!