terça-feira, 2 de março de 2010

Aprendendo a gravar parte 6 mais equalização

Como já mencionei antes, este será o tema mais longo do curso.
Com certeza, se for pesquisar a fundo o assunto, verá que várias opiniões, porém todo mundo esquece de comentar qual o equipamento que está usando. A qualidade do equipamento interfere muito no resultado final do som mais do que a equalização. Há equipamentos que só basta “tocar e gravar” e depois mixar e música está pronta. Porém não espere isso se estiver usando um computador com “placa de som amadora” e uma mesa de som, aliás, muitas vezes o resultado pode ser o oposto. Todas as tabelas de freqüências que encontramos ao longo da internet foram feitas para “equipamentos bons” e não para equipamento bom interligado com um “mais ou menos”, por isso a equalização vai exigir você pensar bastante sobre o assunto e infelizmente mixar em seu simples equipamento é bem mais complicado do que com equipamentos de qualidade. Mas não desanime!Lembre-se que quando você conseguir “tirar água da pedra” vai estar pronto para qualquer equipamento superior que comprar. Alguns passos para se seguir:

1.Tenha sempre músicas como referência. Procure ouvi-lás e tomar como ponto de partida de seu som.Procure ter também músicas independentes que podem ser achadas no Palco MP3.

2.Falarei usando os termos de um equalizador paramétrico.
LOW SELF – Puxa todas as freqüências para cima ou para baixo partindo do grave.
HIGH SELF - Puxa todas as freqüências para cima ou para baixo partindo do agudo.
NOTCH (OU PARAMETRIC)- Permite você manipular uma freqüência, aumentado ou diminuindo a largura do Q. A figura abaixo explica melhor.

3.O texto abaixo está presente na maioria dos manuais de crossover e equalizador paramétricos da Behringer, porém também é muito difundida na internet. Note que logo abaixo farei um comentário sobre a freqüência:De 31 a 63 Hz - Fundamentais de Bumbo, Tuba, Baixos de 6 cordas e pedaleira de órgão.Essas freqüências dão ao som a sensação de "potência".Se super-enfatizadas, fazem o som ficar "emplastado".Na voz, dão sensação de poder de alcance de cantores excepcionais(baixo).O corte da freq. de 60Hz ajuda na redução de ruido de rede.
Palco KH Comenta - Todo grave ou sub grave, pode ser colocado depois no máster. Você pode fazer isso usando um eq paramétrico dando um “low self” de +1Db começando em 22 Hz ou ainda usar um plugin de sub-grave como Waves R-bass e Waves Max bass. Muitos produtores preferem colocar o grave no final, pelo simples motivo ele é o que mais embola na mixagem. Leia aqui mais sobre isso.

De 80 a 125 Hz - O reforço destas freq. causam o efeito de "boom" pronunciado.O corte de 120Hz ajuda na rejeição do ruido de rede(2ªharmônica). Palco KH Comenta - O “boom” é um pesadelo antigo dos produtores. Como comentado antes, deixe os graves para o máster, se colocar antes corte os mesmos no máster também com low self. O corte de 120 hz exige cuidado, procure ouvir ao corta para não cortar nenhum harmônico junto. O harmônico da guitarra e violão está em 84 Hz, o do baixo em 80 Hz.

De 160 a 250 Hz- Fundamentais de tons, caixa e baixos(fundamentais da voz , também).Se reforçadas, podem causar o "boom".O corte em 180Hz ajuda a eliminar ruidos de rede (3ª harmônica). Palco KH Comenta – Aqui também define que timbre caixa da bateria irá assumir. As fundamentais da voz começa, 200 hz, não aumente o baixo aqui pois ele irá embolar só se for necessário.

De 315 a 500 Hz - Fundamentais de cordas e percussão em geral, extremamente importantes para a qualidade de vocal. Palco KH Comenta – Na verdade o que define a qualidade vocal é a entrada, o microfone que você usa e mais a soma do ambiente. Aqui se cortar e aumenta-se somente se há necessidade.

De 630 a 1K Hz - Fundamentais e harmônicas de cordas, teclados e percussão.Importante para a "naturalidade" da voz.O reforço excessivo causa aos instrumentos o som de "corneta de lata" e na voz aquele som de "telefone". Palco KH Comenta – Se quiser criar um efeito de telefone aqui, basta dar um low self cortando a partir de 21 Hz até 630 Hz e um high self cortando a partir de 1KHz. Um corte notch em 600 Hz ajuda liberar o vocal.

De 1,25 a 4 K Hz - Bateria, guitarra, acentuação de vocais, cordas e contrabaixo.No vocal acentua os "fricativos"(f,z,j,s,y...), importantes para a inteligibilidade.Reforço excessivo entre 1 e 4 kHz faz com que fonemas como m, b, e v se tornem indistinguíveis na voz e nos instrumentos causam o som de "lata de banha".O excesso de reforço nestas freq. também causam a "fadiga sonora", que cansam o ouvinte após cerca de 30 min.(muitas bandas deixam de fazer sucesso porque seus músicos gostam de reforçar os médios, tornando-se cansativos...Observem...).Vocais podem ter mais brilho reforçando freq em torno de 3 kHz, mas é necessário ao mesmo tempo atenuar um pouco a mesma faixa para os instrumentos. Palco KH Comenta – Cuidado com as guitarras e vocais aqui. Aqui você é parte que você define qual o instrumento será mais destacado incluindo a voz. Aumentar muito aqui causa irritação aos ouvidos.

De 5 a 8 kHz - Acentuação da percussão, pratos e caixa de bateria.Acentuação de voz feminina e falsetes.Reduções a partir de 5kHz tornam o som mais"distante e transparente", o mesmo se dispersa no local.Atenuações nessa faixa auxiliam a redução de chiados.A faixa de 1,25 kHz até 8 kHz governa a claridade e definição do som, tanto para voz como para instrumentos. Palco KH Comenta – Som de guitarras distorcidas aqui podem passar de overdrive para fuzz abelhudo. Toda respiração da voz começa daqui até 12 Khz. . Vale a pena testar aumento em quase todos instrumentos nessa área, por exemplo, o Kick (bumbo) e baixo para sair em pequenas caixas (como a de computador) precisam de aumento nessa áreas.

De 10 a 16 kHz - Pratos e brilho geral(agudos).Muito reforço causa o efeito de "sibilância"( aquele sopro meio chiado no microfone ou um ruido metálico desagradável nos instrumentos, fazendo que os mesmos reproduzam as batidas de anéis, pulseiras e outros "balãngãndãs" usados pelos músicos para formar o "tipo").
Palco KH Comenta – A maioria dos ruídos estão aqui, porém aumentar um outro instrumento pode defini-lo na mixagem final, você terá que ouvir tudo junto e ir testando.Um som de sample brilha melhor puxando um High Self essas freqüência.

Nesse link você verá a maioria das freqüências dos instrumentos. Muito útil pois mostra o som natural deles e como funciona em nosso ouvido.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!