sexta-feira, 18 de maio de 2018

Gravação: camada de voz em apenas 5 passos

Antes de começar a ler essa postagem, sugiro ver um vídeo que já postei bastante por aqui.
A cena é do filme "La Bamba" onde mostra como Ritchie Valens grava "Come Let´s Go" em takes (parte por parte).


Você pode até achar que isso é coisa de cinema mas a maioria das gravadoras fazem isso desde essa época e por um simples motivo: economia de tempo. É melhor fazer um take de 01:00 bem feito do que uma canção inteira (mais ou menos 03:30) onde pouca coisa dá para se aproveitar, o resultado será bem mais satisfatório. Já se perguntou porque tem gente desafinada "ao vivo" e a gravação de estúdio ficou tão bem feita? Esse é um truque que você irá aprender aqui em apenas 5 passos!

DAW: A que você está acostumado a usar
Dificuldade para fazer isso: de médio a difícil. 

1.Conheça os tipos de voz que consegue fazer
Se fomos falar na maneira mais estudiosa iremos definir vozes por classe, como por exemplo
Soprano para definir uma mulher que canta alto ou Tenor para definir um homem que canta alto
Se você que saber isso aqui está link perfeito sobre isso. Como essa postagem não sobre "como cantar ou sobre técnica vocal" e sim para quem tem mais ou menos conhecimento do que quer fazer então a primeira coisa que se deve ter em mente é quais vozes você consegue fazer além da sua.
Vamos supor que você consiga imitar o "Renato Russo ou o Gustavo Lima" ou ainda "Elis Regina ou Paula Fernandes" ou se você consegue cantar em barítono (grave), voz branca (sua voz normal), drive (voz rasgada) e falsete (voz de cabeça) e lembrar da execução separada de cada uma delas?
Se você sabe fazer mais de uma voz então no item irá lhe ajudar bastante.

2.Melodia
Feito isso você deve conhecer bem a melodia da música com sua letra. O bom é que você saiba ela decor e evitar "colas" (a interação dos olhos com boca nunca combina). O ideal é que você saiba a música decor e não se esqueça de aquecer antes  de cantar de preferência como esse do vídeo abaixo:


Só nesse vídeo você já consegue ver algumas vozes que você pode fazer.


domingo, 13 de maio de 2018

Opinião: Depressão Musical

Não sou psicológico em tão pouco alguém que faz palestras motivacionais!
Por isso tudo o que digo aqui é mais coisas que "vi e vivi" e infelizmente aconteceu com muitos músicos fantásticos que conheci ao longo da jornada.
A depressão e falta de auto-estima são as "doenças" que atingem a população nesse início de século 21. Um dos fatores mais ligados a isso que a sociedade ocidental anda querendo enfiar na cabeça do jovem que pra ser feliz precisa de "dinheiro, fama, status, ser egoísta, etc..." e quem segue isso realmente corre o risco de se deprimir quando não consegue nada disso, e remédios não vão ajudar. Uma das soluções mais antigas para curar a depressão é a música, mas quando se trabalha com ela todo dia, a pessoa não corre o risco de ficar deprimida?
Corre sim, muitos músicos sofrem de "depressão musical". Você já deve ter ouvido daquele famosa história de um músico famoso largar tudo pro alto e sumir por um tempo, isso geralmente acontece pois quando o mesmo vê que não tem a fama e o status de antes caem em depressão, se isso acontece com eles imagine com quem estava pra se torna famoso e algo deu errado e os que tentam virar famosos. Os mais sujeitos a depressão musical são.

1)Os que são bons instrumentistas/vocalista mas não consegue se relacionar com as pessoas.
2)Os que esnobam o próximo (sempre ficam sozinhos)
3)Os que sempre querem ser melhor que qualquer um (você só pode ser melhor do que você mesmo)
4)Os que esperam pelos outros e não fazem nada por si (já sofri disso)
5)Os que muito talento e ansiedade de mostrar ao mundo o que tem e acabam caindo em contos do vigário.
6)Os que ainda acham que hoje em dia vai cair do céu alguém que o carregue para uma gravadora.
7)Os que não tem coragem e sempre medo de levar não.
8)Os que são ótimos em fazer côver e quando fazem uma coisa própria e não vêem sua carreira decolar voltam a fazer o que faziam. (o tipo mais comum de depressão musical)
9)Os que não tem paciência de estudar um pouco.
10)Os que não botam a "cara pra bater" em festivais ou programas de tv.

domingo, 29 de abril de 2018

Gravação: Os ruídos e seus eternos problemas!

Gravar em casa ou no seu estúdio "nos fundos da lavanderia" é uma coisa boa por um lado pois não há limites, tempo, regras ou custos para você criar, apenas usar sua imaginação! Porém existe alguns fatores que já comentei aqui que são sempre uma "dor de cabeça" como ambiente não tratado, falta de equipamentos adequados e lógico conhecimento como fazer a música ficar "perto" de uma música comercial.
Hoje vou falar sobre um problema que afeta 90% das músicas gravadas em casa que são os "ruídos" que é muito comum, pois a maioria das pessoas não possui um "tratamento" adequado quanto a isso, mas como a maioria está gravando para ter a ideia, conseguir chamar a atenção nas redes sociais e provavelmente depois de um tempo vai gravar num estúdio profissional, então vamos tentar achar a "fonte de seus ruídos" e ameniza-los da melhor maneira possível!
Esse ruídos geralmente quando escutamos nas pistas separadas podem parecer "inaudíveis" mas, a partir que você faz a mixagem e passa um compressor (principalmente do tipo multibanda) eles vem a tona e não importa a quantidade de plugins que você passa, o aúdio terá um resultado "fraco e sem vida" muito distante de uma gravação comercial.
Essa dificuldade depende do seu grau de compreensão! Ou seja não há uma "fórmula para resolver", apenas para você constatar se isso que acontece na sua casa e tentar resolver com nossas sugestões.

Ruído Externos
Geralmente esse tipo de ruído aparece quando gravamos com o microfone, seja a voz, um violão, uma guitarra ou qualquer outro instrumento que use essa fonte.

Causas:
Esse é o ruído mais comum pois é todo barulho que vem de fora, seja os barulhos de automóveis, latidos, pessoas conversando, vizinho serrando azulejo, chuva, trovões, etc...
Ruídos externos costumam ser mais audíveis do que os próprios ruídos internos e por isso saem mais facilmente nas gravações.

Soluções
Os ruídos externos sempre estão em evidência em no dia, por isso a maioria dos estúdios onde não há um isolamento acústico contra esses ruídos prefere gravar a noite ou logo no início da manhã para evitar. Contudo você tem que ter certeza que seu isolamento interno faz com que o som não saia para fora (pois ninguém vai ter querer ouvir gravando uma bateria as nove da noite da segunda) e para isso basta um simples teste: coloque uma música num volume razoável e veja o quanto você consegue escutar a mesma fora do ambiente. Se ela está muito alta, você terá que dar um jeito de isolar mais o local.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Coluna do Anício: não se iluda com as décadas passadas

Olá Palconauta!
Um aluno me sugeriu para que eu desce aulas on line e disse que por enquanto não tenho interesse, mas que possivelmente vou ajudar o "Rafael" em alguns vídeos do canal do blog que ele está desenvolvendo e vejo que muitos conhecidos meus estão indo para esse caminho que uma coisa até natural, pois graças a internet você pode finalmente fazer aulas com os maiores músicos do Brasil e porque também não dizer do mundo.
O Rafael me disse que está seguindo muita gente pois além de aprender mais, também já está vendo como fazer um canal didático que uma coisa onde as chances de sucesso no You Tube são praticamente nulas, pois a gente vê que as pessoas se interessam mais por outras coisas na web, por exemplo eu vi alguns canais de guitarristas que admiro e não acreditei como muitos deles tem "apenas" 5.000 ou 10.000 seguidores, sendo que foram inspirações para uma geração toda. Um cara como Jason Becker (que provavelmente você não conhece) deveria ter pelo menos uns 100.000 inscritos e tem apenas 22.000!
E apesar de você achar alto o número, muitos professores de guitarra (cujo o mesmo inspirou) brasileiros passam facilmente esse número de seguidores.
Eu muitos vídeos e realmente é admirável como tantos caras ótimos estão dando "dicas preciosas" e gratuitas para os que estão se aventurando na música, não importa o instrumento e se tivesse isso lá em 1992 possivelmente, um monte de coisa que demorei anos para aprender, aprenderia talvez em meses e ainda mais se tomasse uma aula "on line" com um desses caras e por isso que sempre incentivo os meus alunos a fazerem aulas com um deles, pois sua mente irá abrir para outras coisas na música mas apesar de tudo isso tem uma coisa que vários desses músicos não escondem:
O seu recalque pela música atual e antes de você se escandalizar vou tentar explicar, por isso não seja um "hater" e leia até o fim a postagem.

sábado, 7 de abril de 2018

Mixagem: tire proveito das "only tracks"

Você grava em casa e usa um equipamento simples, certo? 
E muitas vezes você não sabe para que lado começar a mixar ou até mesmo masterizar pois apesar do som está muito bom sozinho, quando mescla com a música parece que falta "tempero" e graças a internet hoje em dia podemos ouvir isoladamente por exemplo os sintetizadores do Depeche Mode no clássico Personal Jesus, ou as linhas de baixo da banda Queen, ou as guitarras de Izzy e Slash do Gun´s Roses no clássico Welcome to the Jungle, ou a bateria de David Gohl isoladamente nos seus tempos com a Banda Nirvana e por último o melhor "drive vocal" do hard rock Dio na música Holy Driver.
Primeiramente poucos vão ter acesso aos instrumentos e equipamentos que os estúdios usaram nessas músicas, mas você pode ter acesso as suas "frequências" e se como faz isso?
É que o que você pode descobrir lendo o resto da postagem!

1)Você já ouviu falar Only Tracks?
A primeira vez que ouvi falar do termo foi no site do produtor Dennis Zasnicoff
explicando o funcionamento do vocal da música do Kiss "Detroit Rock City"  e a principio achei que ele tinha a track (pista) do vocal dessa música.
Porém se você digitar no you tube "only track" você verá que a aparecerá resultados para a gravação individuais de várias pistas, como vocal, guitarra, teclado, baixo e bateria. Não se sabe direito a origem disso (da onde conseguiram as gravações) mas para quem grava em casa ou estúdio foi uma "benção" pois podemos ver com um analisador quais as frequências que os produtores cortam ou aumentam. Claro, não é assim que funciona, para você ter uma "qualidade igual" teria que ter um "equipamento igual" e não vá achando que copiar essa frequências na sua música sendo que o vocal foi gravado num microfone de "baixa qualidade" irá ficar a mesma coisa! Isso como digo é uma base pra você saber pra onde seu som está indo...

2)Como faço para analisar?
Primeiramente você deve pegar um programa que converta vídeos do "you tube" e pra isso existem vários (confira a pesquisa aqui) ou algum plugin de navegador que faça isso.
Após isso você tem converter para "MP3" o som do video. Feito isso basta apenas passar o analisador na trilha que você baixou e comparar com sua trilha! Após isso, você pode tentar "corrigir" ou "assimilar" sua trilha com um equalizador, copiando a "only track" que converteu.
Essa postagem (clique aqui) fiz com a música Entersadman do Metallica onde mostro a passo como você pode analisar todos os instrumentos e o vocal dela a partir do only tracks usando o plugin Izotope Ozone. Porém basicamente o que se faz é como a figura abaixo:

Clique para Ampliar!










Vamos considera que isso seja as frequências "totais" de sua música logo após sua masterização.
Você vê que ela inicie a subida logo após 20 Hz (na maioria dos casos após 30 Hz) tem sua força de presença (onde é mais audível) perto dos 5 kHz e termina sua descida em 16 kHz. Tudo isso que a gente vê são apenas a "junção" da mixagem de 4 instrumentos: bateria, baixo, guitarra (ou violão) e a voz. Geralmente é isso que você vê num plugin analisador.
Agora pegue cada pista da sua música, coloque separadamente para tocar e tire "snapshot" (fotos da tela) e você terá um resultado parecido com este:

Clique para Ampliar!









Bagunçado e confuso não?
Nem tanto! O que vemos aqui são os instrumentos e voz em suas frequências separadas:

A linha laranja é a bateria. Repare que ela começa perto de 20 Hz, em 200 hz perde ganho, permanece a partir daí, ganha mais um pouco de ganho perto de 8 kHz e finaliza em 16 kHz.

A linha verde é o Baixo. Ela segue quase o mesmo padrão da bateria, contudo tem mais ganho em 200 Hz e 8 kHz, para destacar ele dos demais instrumentos.

A linha azul é a guitarra ou violão. Repare que ela tem corte depois de 200 Hz e um ganho perto de 5 Khz, justamente para que os harmônicos do instrumentos tenham mais presença.

E por último a voz que é a linha roxa. Ela começa perto de 100 Hz e domina praticamente todas as frequências até 8 kHz e onde começa perder a força.

A soma total desses instrumentos será a linha vermelha.
Claro que você tem que considerar que isso é apenas um exemplo prático, seguindo a "tabela de frequências". Mas já serve para você entender o que fazer a seguir que é comparar todas as trilhas gravadas de sua música com as trilhas de músicas comerciais já gravadas e ter dar idéias de como fazer "experimentações" entre cortes e ganhos para melhorar sua música em qualquer estilo que você faça.

3)O que está disponível
 As músicas internacionais como Entersadman, Master of the Puppets, Small Like a Teen Spirit, Radio Ga-ga, Sweet Child o´Mine entre outras, estão disponível todas as trilhas no Youtube
Muitas tem somente uma pista ou duas, cabe você pesquisar, achar e analisar. A maioria delas está em versão "pre master" ou seja, somente os AUX/BUSS (por exemplo, toda a bateria, todos os vocais e todas as guitarras), porém a trilha baixo a maioria está com "pista individual" assim como alguns teclados. Porém muitos mas músicas aparecem quase toda a semana basta você pesquisar usando as palavras chaves "artista + only tracks" ou "banda + ony tracks"

4)Plugins
Os plugins que mais uso para fazer isso são o: Ozone (3/4/5), Roger Nicholson InspectorWaves PAZ , porém qualquer analisador de espectro dá para fazer o mesmo. A função desses plugins é justamente analisar como estão se comportando as frequências.

Agora cabe a você fazer esse trabalho para "aprimorar" tanto em plugin de análise quanto em mixagem e gravação. Lembrando que além das frequências, você pode ouvir os "efeitos" dos instrumentos e preste também atenção nos canais esquerdo/direito individualmente, eles também tem muita coisa a ensinar!!!

Abraços!!! 
Ótimas Gravações!

Postado por:
Rafael "O KH" Dantas
Autor do blog de gravação musical Palco KH e Jovem e Adolescente nos anos 90!
Músico e Técnico em T.I
OMB:13850
Contato:
rafael.kh@gmail.com


sexta-feira, 30 de março de 2018

Produção: 5 Dicas Sobre Restauração de Audio!

Um dos primeiros trabalhos que fiz em estúdio foi converter áudio de CDs, Discos de Vinil e Fitas Cassetes e isso era em 2001 onde era muito mais complicado do que hoje em dia!
Como uma leitora do blog me pediu dicas sobre isso (direto no meu e-mail) e as respondi, hoje resolvi fazer uma postagem mais detalhada sobre assunto para ajudar você que quer se "aventurar" a tentar restaurar um áudio!

1)Restauração ou Conversão?
Quando você pega um CD, Vinil ou Fita Cassete  e extrai diretamente o mesmo para um arquivo de áudio sem modificar ou mexer em suas características originais (como volume, tempo ou tom) e não passe nenhum efeito para "filtrar" impurezas (como barulhos de fundos) você fez uma conversão.
Agora, se você faz o mesmo processo mas limpa os "ruídos" do aúdio, faz uns ajustes no tempo, muda o tom ou coloca alguns efeitos para "limpar o mesmo" daí você está fazendo uma restauração. Mas isso não é uma "remasterização" que consiste em pegar as pistas originais da música, limpar uma por uma, e dar uma nova característica a mesma sem mudar a dinâmica original.


2)99%  das restaurações de Áudio  não dão certo 100%!
Parece confuso mais trocando em miúdos, a maioria das restaurações de áudio não ficam boas.
Isso porque quando há "clipes", "ranhuras" ou "danos na superfície" do CD/DVD/Blue Ray, se extrairmos os áudio e dermos ZOOM onde o som "pula", você irá ver que há uma "quebra na onda" e quando acontece isso mesmo resolvendo "manualmente" (ou seja desenhando novamente a  onda) o dano som fica irreparável! Então a menos que o áudio do seu CD não esteja em nenhum lugar onde dá para baixar na internet ou comprar um novo (no caso por exemplo uma demo de uma banda nunca lançada no mercado) meu conselho é não tentar restaurar!

quinta-feira, 15 de março de 2018

Ao meu Caro Mestre Garajo!

Ontem dia 14 de Março de 2018 uma notícia me deixou sem dormir direito, que o foi o falecimento do "Mestre Magos" de música daqui de Joaçaba (SC) o nosso querido Roberto Garayo, ou para todos nós o nosso querido Roberto Garajo!
Ele também foi o mentor do maior "Violinista Clássico" que já vi, o meu amigo e cantor sertanejo Samuel da dupla "Samuel & Greice" e de outros grandes músicos daqui da região e  talvez seu aluno mais famoso seja o Danilo Valbusa da famosa Banda Cine.
 Se esse blog existe com certeza foi por causa desse cara que me ensinou tudo o que sei sobre música e que tive o prazer de conviver diariamente durante 4 anos sempre aprendendo, ouvindo, tentando entender a complicada relação entre acordes, escalas, harmonia, melodia como sempre o resultado final era:
A música é a maior arte de expressão dos sentimentos!
Eu comecei a fazer aula com ele em 1995 e mesmo ele vendo o "desastre musical" que eu era resolveu investir em mim (pois música até hoje é algo complicado para minha cabeça) pois eu era um um aluno "diferente" pois tinha muitas músicas próprias e não queria saber muito de aprender côver.