terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Coluna do Anício: 10 dicas para se fazer uma música romântica

Enquanto o Rafael (editor do blog) fica enrolando com seu canal de vídeo...
Novamente eu posto outra postagem aqui, para você e vou começar a ela até de uma maneira pessoal. Meu filho está com 16 anos e está namorando uma colega de sala que tem 15 anos e acho que é o primeiro "namoro" sério de ambos e particularmente acho muito cedo para ele se amarrar porque quando tinha idade dele meu objetivo era ser um Jimmy Page ou um Robertinho do Recife e ficava ralando em cima da minha velha (e ainda usada)Gianinni Stratosonic e isso depois que ralava meia tarde num mercado (pois estudava na escola de manhã).
Já que estava esses dias vendo a "paixonite aguda dos dois" resolvi fazer uma postagem de 10 dicas como fazer um música romântica que embora eu não seja um compositor, tenho alguma experiência nisso pois já ajudei bastante pessoas a passar para "acordes e cifras" seus sentimentos amorosos e claro que não são "regras obrigatórias" (afinal a  música é sua e você escreve como quer para torna-la romântica pra você) então para você, uma ótima leitura!

1.Antes de sair escrevendo e compondo, treine a voz!
Porque sempre bato "nessa tecla" pelo simples motivo que a música atual (nem tanto pois isso já vem lá de 1950) foca na expressão dos sentimentos pela voz e infelizmente isso serve principalmente para os homens pois nosso controle com a voz é sempre mais rebelde. Uma mulher mesmo sendo desafinadaconsegue "enganar" nossos ouvidos mais fáceis seu timbre é mais suave embora isso não seja desculpa para uma garota cantar de qualquer jeito! Mas por experiência (e também por ser casado com uma cantora) sei que as mulheres afinam muito mais fáceis que nós.
A dica principal para o homem é tentar achar seu timbres em quatro etapas: a primeira a voz branca (a de fala como a de Luan Santana ou Djavan), a segunda a voz grave (Renato Russo, Kurt Cobain) a terceira a voz de cabeça (Freddie Mercury, Dio) e por fim a voz "Drive" (Bruce Dickson, Axl Rose) e pode ter certeza que em algum destes timbres a sua voz vai estar.
Muita vezes é mais fácil você achar sua voz tentando imitar a alguém do ir num teclado e ficar chutando se ela é baritono, Mezzo ou Tenor, porém um professor de canto
pode lhe dizer exatamente qual voz, lembrando que isso vale também para as mulheres pois tem uma voz mais fácil (teoricamente) de domar e lógico que um "autotune e melodyne" sempre ajudam pois se esse um "truque sujos" de muitos famosos, por que não usar? Se que ao vivo você vai ter que se garantir! Contudo não se sinta derrotado ou derrotada se tiver que dar sua música para outra pessoa cantar, afinal isso é uma das mais normais no cotidiano dos artistas.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Quase Pronto!

Quase Pronto o Canal do 

Youtube do PALCO KH Home Studio!


Para conhecer o Embrião do canal clique aqui!


Espero colocar nos próximos dias nosso Primeiro Vídeo!



quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Coluna do Inicio: A Geração dos Graves

Olá Pessoas!!!
Primeiramente Um ótimo 2018! Que tudo que você quer se realize!
E agora vou dizer a você que não irei participar do canal do You Tube, do blog pois eu ainda sou meio "homem das cavernas" com isso, mas também não descarto uma futura participação, mas ainda irei escrever aqui na coluna do blog.
Hoje é dia 03 de janeiro de 2018 e esse foi primeiro ano novo depois de 12 anos que não toquei e sim peguei a patroa e os filhos e fui para casa dos meus pais que fica em Lins em São Paulo.
Foi uma virada tranquila com meus pais, meus irmãos, esposa, filhos, sobrinhos, etc...
Isso até depois da meia noite, onde meu sobrinho mais velho (que 20 anos) pegou o sua Saveiro que tem um som mais caro que o próprio carro e colocou uma música eletrônica mais tosca que já ouvi na minha vida! Não sou aqueles músicos que desprezam o estilo eletrônico incluindo gosto muito de músicos como Erasure, Modern Talkin, Taio Cruz, David Guetta, Fat Boy Slim, mas meu sobrinho tocou no som quase no "talo" a mesma música que nem tive coragem de perguntar o nome e tudo o que sei que era um bumbo, com pianinho tipo Casio CTK 501 e o cara falando alguma coisa atrás e não entendia nada o que ele dizia porque os "graves" simplesmente encobriam as frequências "médias" que são as frequências da fala e como  essa música tem graves que geralmente é algo que nosso ouvido não compreende direito, quase não dava para ouvir o cantor.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

De férias e reconstruindo!

A partir de hoje estarei de férias até Janeiro!
Só que não irei ficar parado, para comemorar o ano do nosso décimo aniversário o blog irá mudar de formato! Por isso estou me organizando até lá!
Para meus leitores desejo a partir de hoje um ótimo natal e um ótimo 2018!
E obrigado pela sua companhia durante o anos 2017 esperamos sempre superar suas expectativas!





Abraços!
Rafael o KH Dantas

Autor do Blog

Colaboradores:

Anício Oliveira

André Benitz

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Conheça nosso colaborador do blog: André Benitz!

André é meu primo e colaborador do blog!
Ele é formado em biologia e atualmente está fazendo a faculdade de composição e produção na UFRGS! Ele possui um canal no You Tube com ótimas dicas de arranjo e composição!
Com vocês o som dele:





segunda-feira, 27 de novembro de 2017

10 dicas para seguir uma música de referencia

Olá Palconauta!
Só quem mexe com música sabe o quanto é difícil fazer uma e só quem mexe com gravação sabe o "parto" que é fazer uma boa mixagem.
Quem trabalha com isso todo dia geralmente já sabe por onde começar, mas e quem nunca trabalhou ou está aprendendo por onde ir? É por isso que temos uma coisa chamada referencia para nos ajudar que nada mais é a sua música "favorita" que você escuta direto ou aquelas suas músicas preferidas. Analisar a fundo a mesmas (quanto instrumento tem, quais os efeitos que usa, qual o gráfico do seu campo estéreo) pode te ajudar a resolver esse "quebra cabeça" (como diria o guitarrista do Queen, Brian May) e isso é uma coisa pouco falada ou até ignorada na internet pois muitos das excelentes mixagem que você houve por aí devem-se ao fato que o engenheiro de som usou uma(s) referencia(s) para obter a sonoridade única.
Estão pronto? Então bom estudo!

Qual seu estilo?
O primeiro fato de você ter uma referencia é saber qual o seu estilo pois você irá copiar dele desde os arranjos, a intenção melódica e até o conjunto de instrumentação.
Então é mais fácil primeiramente você se basear em algo que gosta pra depois começar a exprimentar outros tipo de referencias.

Menos é mais!
Existe uma regra de mixagem:
Quanto mais grave, mais alto o som fica. Quanto mais agudo, mais distante o som fica.
Isso quer dizer que se você colocar uma música bem alta e se afastar, verá que os graves se mantém e os agudos vão sumindo e por esse motivo que muitas vezes
quando passa um "carro na sua frente" com "falantes exagerados" e alto a primeira coisa que você irá ouvir será os graves e claro a medida que o carro se afasta
também será a última.
Quanto mais instrumentos na sua mixagem mais o som tem tedência a de ficar mais baixo na mixagem e é esse é dos motivos que hoje em dia as mixagem se tornaram tão graves.
Geralmente se grava até 16 canais dependendo a música e ainda muita coisa irá ser cortada ou "amontoada" num canal só (overdub) para que a música possa respirar.
Por isso se sua inteção é "soar alto" diminui o números de instrumentos e se você não se importa com isso, cuide mais dos agudos para que na soma final de todos instrumentos
não fique irritando o ouvindo de quem ouve.

Na dúvida, comece tudo centralizado 
Você não sabe em que pan começar, então deixe tudo centralizado mesmo que tenha "pistas em mono" na mixagem. Com tudo no centro e ajustando os volumes e os plugins você pode decidir para onde deve colocar os canais, se mais para esquerda ou mais para direita ou deixar no centro mesmo!

Crie seu método de mixagem
A internet fala muita coisa que só funciona para quem faz o vídeo ou escreve a postagem!
Em mixagem tudo depende de uma série de fatores: músicos, instrumentos, equipamentos, ambiente, qualidade DAW, etc. Por isso sempre estude mas tente com tempo fazer seu próprio método pois só você conhece o seu equipamento e o que ele é capaz de fazer ou não.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Coluna do Anício: 15 dicas para gravar guitarra distorcidas

Olá leitores, músicos e amantes da música! Nesse último mês fui para o estúdio. Uma hora como
produtor e outra como guitarrista.
Pra mim foi muito bom pois fazia mais de um ano que não gravava num estúdio profissional!
Porém tive que rever alguns conceitos pois gravei algumas músicas "rock" e outras no estilo "sertanejo pop" então para cada estilo que abordar uma distorção diferente.
No caso do rock eu tinha que ter uma distorção para base e uma para solo
No caso do sertanejo apenas uma para solo, mas a dupla queria uma bem naquele estilo dos anos 90 onde as guitarras sertanejas eram feitas com o harmonist.
Isso foi no meu trabalho de guitarrista, fora isso estava orientando um amigo meu (que já foi meu aluno) como conseguir bons timbres para sua guitarra já que esse é seu primeiro trabalho autoral.
Pensando nisso eu bolei para essa postagem 15 dicas que podem servir para você de como gravar uma "guitarra distorcida" boa, sem complicações e sem frescura!
Não vou abordar sobre mixagem ou equalização, mas tenha isso em mente:
o som que você achar para sua guitarra muda muito pouco no som final na hora mixagem!

1.Tenha um rascunho da sua harmonia e do seu solo
Você não precisa saber escrever tablatura ou ainda mais partitura ou saber figuras e "pressões" rítmicas. Contudo pelo menos você tem que saber qual harmonia irá usar e qual solo irá fazer, nem que seja uma gravação rudimentar com seu celular!
Caso você trabalhe em dupla (não necessariamente com outro guitarrista) gravar a ideia inicial das duas linhas é sempre bem vinda!

2.Na dúvida vá pelo básico!
A maior tentação de hoje em dia são pedaleiras e plugins VST e claro que não está errado, afinal quanto mais prático for uma gravação melhor.
Uma coisa que acontece tanto com guitarristas profissionais, intermediários ou iniciantes é achar que uma "simulação de Mesa Boogie" irá soar realmente como um amplificador de verdade!
Ou ainda achar que a distorção Pro Rat da sua pedaleira realmente sai igual ao do pedal avulso!
As chances de decepcionar na hora da mixagem podem ser grandes!
Por isso na hora de gravar uma dica para "economizar tempo e dinheiro" é simplesmente ter uma configuração básica! Um bom amplificador (que tenha reverb) bem microfonado, com apenas 4 pedais (compressor, distorção, chorus e delay) podem fazer o timbre "dos seus sonhos" em poucos minutos. Lembrando que muitas vezes o que a gente ouve, pode não sair exatamente como na gravação! E não precisa ser exatamente esse pedais! E sim o que você tem a disposição.

3.Válvula ou transitor?
Há 20 anos atrás eu ouvia (e lia) que "os amplificadores valvulados iriam acabar e iriam sobra apenas os transistorizados" e até hoje nada mudou.
Temos amplificadores (e processadores) a válvula e a transistor e qual seria o melhor a usar numa gravação? Minha resposta é o que você achar melhor!
Antigamente havia muita diferença entre os dois, mas hoje em dia com tantos recursos (inclusive para gravação) isso diminui consideravelmente a distância entre o dois.
Por isso não se preocupe se está usando um Fender Blues Deluxe (válvula do) ou um Fender Champion 100 (transistorizado) e sim achar um timbre que irá te agradar e que saia bem na gravação.