domingo, 4 de dezembro de 2016

Gravação e Produção: 10 curiosidades uso dos sintetizadores

A gravação caseira se deve em parte a evolução dos sintetizadores.
Isso porque há 30 anos atrás o sonho de gravar em casa era uma coisa para poucos.
Hoje em dia se com um simples computador muita gente cria músicas que poderão (e algumas até se tornam) fazer sucesso em casa é graças a evolução desse maravilhoso instrumento.
Nossa postagem de hoje mostra 10 curiosidades uso dos sintetizadores que talvez você jpa soubesse ou não.  Boa Leitura!!!

1.Moog
Quem é músico ou fã de música em algum momento irá se deparar com esse nome. Mas o que ele tem de tão importante na música eletrônica?
Robert Moog (mais conhecido como Bob Moog) era studante secundarista que publica numa revista de ciências um artigo explicando como construir em casa seu próprio Theremin.
(Theremin é um instrumento popular nos EUA e na Europa que produz sons eletronicamente e mais usados em filmes) porém tudo mudou quando ele colocou "um teclado de piano" nesse instrumento.
Os sons agora podiam ser tocados e não só reproduzidos e ele percebeu (com ajuda de músicos) que ao manipular as ondas sonoras também podia "simular" outros instrumentos quando acrescentou no seu aparelho algumas funções como waveform, decay, release e envelope.
Desse príncipio nasceu o "sintetizador" cujo o nome quer dizer "sintetizar sons" ou "simular".
O MiniMoog foi o primeiro sintetizador usado em gravações (ainda usam até hoje) sendo assim o percussor do restante.





2.De quatro ondas sonoras vem tudo o que ouvimos
O nome música eletrônica vem justamente porque o sintetizador vem de um aparelho chamado oscilador usado em eletrônica para medições de "corrente" (amper) em eletrecidade.
O que Bob Moog fez justamente dar "notas musicais" a essas ondas.
O som "cru" do sentizador seria mais parecido com as cordas agudas de um violão do que as notas de um piano e a partir desse som ele é totalmente modificado
pelo oscilador que é uma "onda elétrica" que modifica as ondas sonoras que você vê abaixo:

Formatos de Ondas Sonoras
Sine (formato de onda S)
Essa frequência é a analógica de um sintetizador, ou seja é a natural, lembrando um assobio.

Triangle (formato de onda M)
Aqui começa a primeira veriação da "onda" quando por exemplos mexemos nos comandos do osciladorde um sintetizador.

De formato de "sino" (um S) ela vira um "triângulo" (um Z) que deixa o som mais brilhante e assim por exemplo, podemos simular um orgão.

Sawtooth (formato de onda Z)
Se pegarmos e continuarmos a mexer no "oscilador" aumentando a velocidade das ondas do "formato de triângulo" passaremos para um "formato de serra". O som fica "brilhante e vigoroso" lembrando um "saxfone".

Square (formato de onda Quadrado)
Essa onda é o que acontece quando "diminuímos" a velocidade do oscilador. Esse som fica "forte e oco" parecido com um "clarinete".

Além disso temos ainda mais duas ondas sonoras que podemos dizer que são "complementares":

Pulse (pulsante)
O "pulse" é a onda "square" bem mais lenta é a onda "inicial" do oscilador. Ela lembra aqueles aparelhos "médicos" cardíacos que medem as batidas do coração.
O som fica "denso e nasal" lembrando um "oboe".

Noise (barulho)
Se você colocar ao máximo o oscilador então só restará o "barulho" que ele fará ao "mesclar" todas as ondas sonoras. Irá lembrar uma cachoeira.

Claro que esses sons acrescentados de efeitos (como reverb, delay e chorus) e outros comandos do sentizador (como envolope e decay) fazem com tenhamos a simulação de intrumentos que conhecemos hoje em dia.

3.Analogos vs Digitais
Para demonstrar isso é melhor ver esses 2 vídeos de sintetizadores da Korg de 10 anos de diferença um para o outro:

Sintetizador Analogo MS-20 (1978)



Sintetizador digital M-1 (1988)



Em resumo: analogo são os que você tem que fazer "tudo manualmente" (Seja por botões ou troca de entradas/saídas através de cabos) e digital são aqueles que
usam "microchip" para criar seus sons.

4.General Midi (GM)
Se Moog foi o responsável pelo sintetizador o que se deu a seguir com seu sucesso foi uma "invasão" dos mesmos no mercado. Entre 1970 e 1990 sugiram alguns dos principais sintetizadores (ou que serviram de base) da música moderna tais como: Roland Jupiter, Yamaha DX7, Korg MS20 e Oberheim OBXA.
Contudo vários sons foram criados mas nenhum deles foi "organizado e catalogado".
Pensado nisso a MIDI Manufacturers Association (MMA) e a Japan MIDI Standards Comitee (JMSC) criaram a "linguagem comum" entre o sintetizadores chama GM ou General MIDI cujo o padrão inicial são "128 timbres" e mais "4 kits de bateria".
O primeiro aparelho a ser produzido em "Serie com GM" foi o Roland Sound Canvas é por isso que ele a criação do GM e a popularização dos teclados Roland GS se confundem.
O GM também é reponsável por trazer os timbres dos sintetizadores para quase tudo que ouvimos hoje dia desde o "ringtone" do seu celular, trilhas de filmes e novelas e claro as músicas dos jogos de computador e videogame. Abaixo um vídeo com dois clássicos: o primeiro é o módulo Roland SC55 que dá som a trilha sonora (em midi) do jogo Doom



5.Yamaha XG
Uma coisa que não se comenta muito é que um dos teclado que deu origem ao General MIDI foi o Yamaha DX9  que  foi "ofuscado" pelo sucesso do seu modelo anterior que era o "DX7".
Contudo em 1999 (talvez antes) quando foi criado o padrão General Midi 2 a Yamaha não gostou muito da variedades dos timbres e decidiu criar seus próprios timbres variados do
General MIDI original para sua séria de teclados "30" (PSR 530, 630, 730 e 8000) e assim fez o XG (Extend General MIDI) porém muito das idéias vieram de uma placa de som que ela tinha feito em 1995 para ser concorrente da Sound Blaster AWE32 além de esse padrão se comunicar melhor com os sintetizadores Korg uma coisa que o General MIDI sempre teve esse problema.



6.Sintetizador vs Teclados Musicais
Ambos são a mesma coisa o muda mesmo é o preço e utilização. A sigla corretamente para Teclado é Keyboard Player (Teclado Tocador) justamente porque tem os ritmos inclusos.
A diferença principal é que os sintetizadores são mais profissionais e possuem todos os timbres separados e possuem mais funções (como arpejeador) enquanto o teclado possue tudo mais "simplificado" incluindo os ritmos.
Porém não se engane, muitos profissionais workstation além de ter os ritmos também tem os timbres
como no caso do Yamaha Moxf6



7.Workstation
Quando surgiu os primeiros sintetizadores com disquete (principalmente o do tipo 3 1/2) e também o advento do padrão General MIDI o sintetizador virou também Workstation ou traduzindo
"estação de trabalho" e entre os melhores exemplos temos o Roland XP80 (1996), Korg Wavestation (2004) e Yamaha Tyros5 (2013).
Com esse tipo de sintetizador não era mais preciso ir para estúdio gravar pois o tecladista fazia tudo em casa e só levava para o estúdio o trabalho pronto, inclusive ele podia fazer num sentizador inferior, leva para o estúdio o disquete e usar o mesmo num sentizador melhor desde que ambos
fossem compatíveis com "GM".
Você pode não saber mas mais de 60% das músicas que ouvimos hoje em dia são feitas com esse teclado e nenhum mais instrumento! O vídeo abaixo mostra uma música feita com Yamaha Tyros5.



8.Sample
Da mesma forma que Bob Moog usou o oscilador para criar o sintetizador e o padrão General MIDI em meados dos anos (19)90 surgiu também outra maneira de criar sons para torna-los mais realistas na verdade era "copia-los" e "reproduzir" e assim surgiu o sample (amostra de som) que nada mais é que o som gravado de um instrumento e depois tocado no sintetizador.
Muitos sintetizadores e VSTi podem seguir o "GM" porém não precisa ser o som deste natural, muitos deles são sampleados. Por exemplo o famoso VSTi Ez Drummer 2 que apesar de seguir o padrão "General MIDI" todas as peças da bateria são "sampleadas" a partir de baterias reais:



Do mesmo modo que o sintetizador Korg Trinity cujo a maioria dos sons são baseados em "amostras" e não pelo padrão habitual "General MIDI".



9.Módulos
Embora os sintetizadores sejam mais conhecidos na forma de "piano" (com teclas) muitos deles foram feitos em formato de "módulo" onde se conectava a um controlador (com teclas de piano)
via "midi" ou hoje em dia, via "usb". Alguns módulos famosos como o Roland SC55, Roland JV880, Ensoniq SQR Plus Synthesizer e E-MU Proteus 1-XR são fomosos por serem usados em muitas músicas de sucesso. Abaixo vemos o exempo do E-MU Proteus 1-XR



10.VSTi
Pra finalizar uma coisa muito usado hoje em dia que o Virtual Studio Technology Instruments ou somente VSTi.
A principal diferença entre ele o sentizador é que além de mais barato e prático, eles são somente baseados em samples mesmo que ele seja basado num sentizador real!
Por exemplo abaixo temos o plugin VSTi Arturia Jupiter e logo abaixo temos o sintetizador que ele emula, o famoso Roland Jupiter 80.





O uso do sintetizador em 07 músicas

01.Funeral of Queen Mary (Wendy Carlos)
Sintetizadores usados:MiniMoog
Wendy Carlos (na época ainda Walter Carlos) foi o primeiro músico a trabalhar diretamente com sintetizadores tanto que gravou um álbum chamado Switched-On Bach para mostrar que com um sentizador era possível substituir todos os instrumentos de uma orquestra.
Ela fez toda música do aclamado filme Laranja Mecânica (A Clockwork Orange) e o tema de introdução do filme (a apresentação do personagem principal Alex que é Malcolm McDowell) pra mim ainda é um dos temas mais sinistros já feitos para o cinema que a música que você ouve a seguir (curiosamente a música foi feita em 1695 por Henry Purcell e Wendy Carlos a popularizou 300 anos depois).



02.Unbelievable (EMF)
Sintetizadores usados:Yamaha CS80,Akai S900 e Roland Juno 106 
Essa música mescla guitarra pesada com sintetizadores. os membros da banda EMF eram fã da banda New Order então fizeram uma no mesmo estilo com a influência do grunge dos anos (19)90.
Nos primeiros 20 segundos de criação diz os membros que viram que essa música seria sua "bala de prata" e de fato foi mesmo, porque além de alcançarem o sucesso com ela, praticamente também
os sepultou, já que essa é única música que realmente fez sucesso da banda apesar de ótimas composições.



03.Sound Likes Melody (Alphaville)
Sintetizadores usados:Roland Jupiter 8,Roland M100,Arp Odyssey,Korg MS 20,Korg MS 10
Korg Sq 10,MFB Fricke, PPG wave 2.3, PPG waveterm, Linn LM 1, Roland TR 808,Simmons, Hohner String e Solina String.
 

Se hoje em dia podemos vasculhar plugins pagos e gratuitos atrás de timbres para nossas, em 1984 ter só um sentetizador era luxo, imaginem então 14!
Foi o que o grupo alemão Alphaville fez no álbum Forever Young (além da música título do album nele tem mais um grande sucesso do grupo Big in Japan) na época em que conjuntos new age (como Duran Duran, Depeche Mode, New Order) se prendiam no mesmos sentetizadores (geralmente Roland Jupiter e Yamaha DX7) eles usaram o que tinha mais moderno naquele tempo.
Coincidência ou não a maioria do timbres General MIDI do Roland SC55 podem ser ouvidas nesse álbum que possivelmente foi um dos álbuns  que mais influenciaram a criação do padrão.



04.Blade Runner End Theme (Vangelis)
Sintetizadores usados:Yamaha CS-80, MiniMoog, ARP 2600 modular, Korg PSS3300...
Numa época que ninguém imaginava o futuro com internet, smarthphone, redes sociais, Vangelis foi capaz de transportar as pessoas para o futuro através da música.
As músicas do filme Blade Runner - Caçador de Androides casaram tão bem com filme que fez com que um "futuro tão caótico ficasse tão real".
Vangelis (um ex-tecladista de rock progresivo) fiz trilhas memóraveis para outros filmes como Carruagens de fogo e a Conquista do Paraíso sempre usando sintetizadores.



Veja aqui lista completa usado nas trilhas sonoras dos filmes que ele trabalhou.

05.Naja(RPM)
Sintetizadores usados:Roland Jupiter-8, Yamaha CP-80, Yamaha DX-7 e Tokai TX-5 Classic. Pra terminar um representante nacional. RPM foi a primeira banda nacional a utilizar os elementos dos sentetizadores graças ao seu tecladista Luiz Schiavon.
Além de fazer as introduções das clássicas Rádio Pirata, Olhar 43 e Alvorada Voraz usando sentetizador fez também a música Naja que é instrumental.



Outras músicas que valem a pena ouvir com uso de sintetizadores:
Jump (Van Halen), Final Countdown (Europe), Billie Jean (Michael Jackson), Instant Crush (Daft Punk), Kangoroo Court (Capital Cities), Sex Chick (David Guetta), Last Friday Night (Kate Perry) e Vougue (Madonna).

Trilhas Sonoras dos filmes: Exterminador do Futuro, Matrix, Robocop, Tira da Pesada, O Sobrevivente e Blade.

Ótimas gravações!

Postado por:
Rafael o KH
Autor do blog Palco KH!
Músico e Técnico em T.I
OMB:13850
Contato:
rafael.kh@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!