sábado, 18 de junho de 2016

Fazendo uma música completa - Parte 3 - 10 dicas sobre Modos Gregos

Continuando a nossa série não posso começar uma música sem explicar para você de onde vem o "embrião" dela. Pro isso hoje vou falar sobre Modos Gregos que são praticamente o que dá vida a música atual. Bom estudo!!!

Dificuldade:Média
Requisito:ter conhecimento sobre cifragem, escalas, tríades e acordes!

1.Conhecendo os modos gregos sobre um outro ponto de vista
Muito bem se você conhece os modos gregos apenas vamos "repassar" o que você já sabe.
Para quem não conhece você pode acompanhar sem problemas a postagem, mas sugiro também olhar um método sobre essas escalas como o gratuito do site Cifra Club que é bem rápido e objetivo.
Primeiramente tudo o que vou falar aqui usaremos o tom de C (Dó) como exemplo.
Os demais tons basta você fazer uma transposição. Também só vou trabalhar com "nomes" sem partitura ou tablatura.
Quando pegamos geralmente um método para aprender os 7 gregos vemos que temos
7 escalas que saem de 7 tríades mas quais são essas tríades?
Lembrando que Tríade são um acorde composto apenas por 3 notas que são mais facilmente encontradas em instrumentos de teclas (teclado, piano, cravo, acordeon) porém
claro que pode ser feitas em qualquer instrumento que possa formar um acorde como o violão, a guitarra, o baixo, o cavaco e o banjo.
Instrumentos que só conseguem formar escalas como sax, flauta, timbale ou glockenspiel só podemos tocar as tríades em forma de arpejo ou seja, nota por nota.
O prícipio básico do modo grego é a Escala Maior ou modo Jônio em C e a partir disso nasce as demais escalas como você irá ver abaixo:

C-D-E-F-G-A-B-C  Modo Jônio ou Escala Maior
D-E-F-G-A-B-C-D  Modo Dórico (Menor)
E-F-G-A-B-C-D-E  Modo Frigio (Menor)
F-G-A-B-C-D-E-F  Modo Lídio (Maior)
G-A-B-C-D-E-F-G  Modo Mixolídio (Maior)
A-B-C-D-E-F-G-A  Modo Éolio ou Escala Menor
B-C-D-E-F-G-A-B  Modo Lócrio (Meio Diminuto)

Durante a postagem vou falar sobre os modos porém quando você ver Escala Maior ou Escala Menor estou me referindo ao Modo Jônio e ao Modo Éolio.
Até aqui escrevi o que encontramos na maioria dos métodos.
Porém como estamos mais interessados em usar isso para compor vamos ver além das escalas, e ver quais as tríades desses modos:

C-E-G  Modo Jônio,  Dó Maior
D-F-A  Modo Dórico,  Ré Menor
E-G-B  Modo Frigio,  Mi Menor
F-A-C  Modo Lídio, Fá Maior
G-B-D  Modo Mixolídio,Sol Maior
A-C-E  Modo Éolio, Lá Menor
B-D-F-A Modo Lócrio, Si Meio Diminuto

O Modo Lócrio é o único que tem uma tétrade e não uma tríade.
Além do nome "Meio Diminuto" ele pode ser chamado de Bm7b5 ou Dm/B.
Agora se classificarmos os "modos" por acordes teremos:

C     Modo Jônio, Dó Maior
Dm  Modo Dórico, Ré Menor
Em  Modo Frigio, Mi Menor
F     Modo Lídio, Fá Maior
G    Modo Mixolídio,Sol Maior
Am Modo Éolio, Lá Menor
Bm7b5 Modo Lócrio, Si Meio Diminuto

E é justamente quando classificamos em arcodes os modos é que a magia da composição começa!
Essa vídeo aula abaixo irá abordar um "resumo" do que falei aqui.
O autor usa um Piano mas se você toca outro instrumento basta seguir as notas.
Não tem erro!



2.Em outros  tons
Vou dar agora exemplos em outros tons que iremos ver no item 3.
Vamos supor que eu queira converter de Dó Maior para Ré Maior em modos gregos.
Então teremos que subir 1 tom e o resultado vai ficar:

D-E-F#-G-A-B-C# Modo Jônio ou Escala Maior
E-F#-G-A-B-C#-D Modo Dórico (Menor)
F#-G-A-B-C#-D-E Modo Frigio (Menor)
G-A-B-C#-D-E-F# Modo Lídio (Maior)
A-B-C#-D-E-F#-G Modo Mixolídio (Maior)
B-C#-D-E-F#-G-A Modo Éolio ou Escala Menor
C#-D-E-F#-G-A-B Modo Lócrio (Meio Diminuto)

E lógico que as tríades/acordes ficariam D, E, F#m, G, A, Bm, C#m7b5 e que o relativo menor de D é Bm e o relativo maior de Bm é (lembrando: 6º e 3º) e lógico você não precisa "seguir" sempre um padrão natural você por exemplo pode pegar as escalas/tríades/acordes e aplicar num tom só. Vamos ver um exemplo somente no tom de E (Mi) (aqui já vou colocar as tríades/acordes junto.
Para formar a escala pegue somente a primeira nota).

E-F#m-G#m-A-B7-C#m-D#m7b5  Modo Jônio ou Escala Maior
Em-F#m-G-A-B7-C#m-D-Em Modo Dórico (Menor)
Em-Fm-G-A-B7-C-D-Em        Modo Frigio (Menor)
E-F#m-G#m-A#-B7-C#m-D#m7b5-E  Modo Lídio (Maior)
E-F#m-G#m-A-B7-C#m-D-E   Modo Mixolídio (Maior)
Em-F#m-G-A-B7-C-D-Em  Modo Éolio ou Escala Menor
Em-Fm-G-A-B7-C#m-D#m7b5-E  Modo Lócrio (Meio Diminuto)

Se você está se perguntando porque coloque B7 (Si Sétimo) ao invés da nota sozinha, isso nos iremos ver lá no item 3 (o próximo).
Agora que você entendeu sugiro fazer outras conversões para pegar mais fácil. O próximo vídeo é justamente sobre fazer os modos gregos em outros tons. O autor usa aqui uma guitarra para mostrar as escalas.



3.Preparações
Você viu que no item anterior fiz a sequência E-F#m-G#m-A-B7-C#m-D#m7b5-E e o 5º grau estava acrescido de sétima .
Isso porque o 5º grau é conhecido como preparatório ou preparação pois a ele prepara a nota para outra parte da música. Ele não precisa ser acrescentado de sétima, pode ser outro grau ou até mesmo
natural, mas esse grau prepara a música para outra parte. Vamos a um exemplo:
Se temos as notas F-G-A-Bb-C-D-E-F(Modo Jônio ou Escala Maior) quem vai preparar para uma passagem ou outra parte da música será a nota C.
Para isso vamos ver um exemplo numa música famosa Have You Ever Seen The Rain to Creedence a parte si é a preparação para o refrão.

                   C
It will rain a sunny day
G                               C              C7
I know, shinin' down like water
F             G
I wanna know
C        G4/B Am Am/G
Have you ever seen the rain....



Percebeu? A música está no tom de C (Dó) mas ela muda para F (Fá) no refrão e se por exemplo tocássemos direto sem essa preparação a música perderia todo o suspense e a surpresa quando fosse para o refrão.
Claro que a música não precisa estar "exatamente no tom" para uma preparação e nem tão pouco chamar a atenção, as vezes é só para deixar a harmonia mais bela, como por exemplo na música Dívida da banda gaúcha Ultramen :

Dm7            G7    C          Dm7        G7     C
Um homem com palavra é um homem da verdade.....



Aqui a preparação não está para nota Dm7 e sim para a nota C, pois se olharmos a escala maior de
C-D-E-F-G-A-B-C veremos que a quinta nota é o G.
Isso é um dos inúmeros truques que se pode fazer numa composição.
Veremos ainda mais sobre isso pra frente.

4.Os modos gregos e a música moderna
Me lembro quando eu estava aprendendo violão ouvia muitas histórias do meu professor como era difícil conseguir alguma informação para tocar como os guitarristas americanos por exemplo.
Claro que isso era em 1995 e internet ainda era um "sonho distante" para o brasileiro.
Eu aprendi os 7 gregos porque meu professor tinha um coleção completa chamada Toque Guitarra lá dos anos (19)80, por exemplo eu fui aprender técnicas com Two Hands e Sweep que é uma coisa bem comum hoje em dia somente em 1998 quando copiei um vídeo sobre isso do guitarrista Mello Júnior
Mas eu já fazia composições desde 1993 e a media que ia aprendendo ia acrescentando nas minha músicas.
Porém um dia um leque me abriu justamente quando percebi que os 7 gregos estavam diretamente correlacionados com a maioria das sequências da músicas das rádios (já comentei isso no blog  aqui nessa postagem) ou seja a partir do momento que você entende quais os graus e acordes que formam os modos gregos você vai ver que tudo isso é usado nas músicas que fazem ou fizeram sucesso.
Vou da exemplo com a música mais conhecida do Legião Urbana o clássico Será

 C            G                   Am        F            C 
Tire suas mãos de mim, eu não pertenço a você
                G                 Am           F             C
Não é me dominando assim que você vai me entender


A música está no tom de C (Dó maior), logo podemos deduzir que deve haver elementos do Modo Maior na mesma. A sequência de acorde C (é a primeira nota do modo), G (a quinta nota), Am (a sexta nota) e F (a quarta nota) são encontradas no modo jônio (escala maior).
O guitarrista talvez não tenha composto para seguir isso, apenas compos por "aproximação" (as notas que ficavam mais sonoras) porém talvez tenha também seguido as notas que estavam nesse modo.
Vamos a outra música Wasting Love do Iron Maiden


Em                C             D               G F#m
Spend your days full of emptiness
Em             C             D                   G F#m
Spend your years full of loneliness
Em             C             D                   G F#m
Wasting love, in a desperate caress
Em             C             D        (D C9 Em)
Rolling shadows of nights ....


Nesse caso temos o tom Em (Mi menor) e veja que as notas seguem sãodo Modo Éolio de G ou como é conhecida escala menor.
Todo 6º grau de uma escala maior é seu relativo menor assim como todo 3º grau de uma escala menor é seu relativo maior.
Por isso que muitas músicas que você escuta pode começar com notas maiores e depois viram em notas menores ou vice versa pois  são apenas seus relativos como por exemplo na música Dreams do Van Halen

F                               G
Yeah, you reach for the golden ring 

Am  
Reach for the sky
F                                    G7
Baby, just spread your wings
(Refão)
C                  Am
We'll get higher and higher
Em              F
Straight up we'll climb .....



Viram? A música fica toda em Am (Lá Menor) até a hora do refrão, daí então muda para seu relativo maior que é C (Dó Maior).
Esse é um dos inúmeros "truques" que podemos fazer usando os acordes contidos nos "modos gregos". Mesmo que a música tenha "tetrádes ou dissonâncias" ela ainda pode seguir essa essência como no caso da música Um dia frio de Djavan:

Dm7
Um dia frio 

                             C4/7
Um bom lugar pra ler um livro 

                   Bb9
E o pensamento lá em você 

               A4/7
Eu sem você não vivo .....


Apesar das "complicações" e da "dissonância" ela  não passa do modo menor da nota F que é o Dm (Ré menor)  tanto que um baixista ou um guitarrista que faça "pica pau" (mute guitar)
não vai seguir as dissonâncias e sim apenas o baixo das notas que são D-C-Bb-A.
Mas você que está lendo a postagem acha que essa "regra" não pode ser aplicada num Sertanejo, forró ou outra coisa vamos ver o exemplo numa das músicas que está nas rádios, Camarote de Wesley Safadão:

A
Agora assista aí de camarote
E                            F#m
Eu bebendo gela, tomando Ciroc 

                              D
Curtindo na balada, só dando virote
               Bm
E você de bobeira  E Sem ninguém na geladeira


Pois bem isso não passa do modo maior de A (Lá maior).
Álias certas combinações são ficam tão parecidas que muitas uma música pode ter a mesma
sequência da outra apenas mudando o tom. Qual semelhança dessa música com Paga Pau da dupla Fernando e Sorocaba? ? Veja:

D                    A
Você diz que não me ama,
Bm
Você diz que não me quer
G
Mas ficar pagando pau....hammm
             D
Qual é que é ?....


A música está em D (Ré Maior) é basicamente tem os mesmos "graus" da música Camarote isso porque se analisarmos veremos que ambas as músicas usam o mesmo Grau do 
Modo Jônio 1º+ 5º+ 6º-   4º+.
Viram? Basicamente é os mesmos graus!
Tanto que isso acontece em muitas músicas gravadas de 1960 para cá.
Essas mesmas notas também são encontradas na  música One Last Breath do Creed.
Veja esse vídeo abaixo, tem mais de 11 músicas que foram hits com essas notas!!!

 

Claro que  apesar de ser uma cópia "da harmonia" elas tem "melodias" diferentes pois senão seriam plágios!!!!
Outro exemplo um amigo meu fazia com sua banda um "medley" que misturava as músicas A sua maneira e o Passageiro ambas da banda Capital Inicial justamente por usarem os mesmos graus "do modo grego menor éolio" que eram 1º- 3º+ 6º+ 7º no tom de Bm (Si menor).
Claro que a música Passageiro está em Em (Mi menor) então eles a levavam essa música para esse tom da outra para fazer o medley.

5.Passagens
Passagens em harmonia, uma nota de passagem é uma nota inarmônica que liga conjuntamente duas notas reais distintas. Em outras palavras é é passar de um tom para o outro sem que o ouvinte note "drasticamente" a alteração. Algumas passagens o Tom pega "emprestado" as notas de outro como por exemplo a música Volta Pra Mim do Roupa Nova:

C               G                 D                   A
O telefone que toca, eu digo alô sem resposta
C                        G                            A4      A
Mas não desliga escuta o que eu vou te falar
D                 A/C#          Bm            D/F#         G
Eu te amo e vou gritar pra todo mundo ouvir.....



Nesse caso o "D" (Ré maior) pegou algumas notas emprestadas do tom "Dm" já que se você ver a escala maior de "D" não há "C" e sim "C#".
Note que logo após o "G" temos um preparação que é "A4" e "A" pois "A" (Lá) é a quinta de D ou seja aqui temos uma passagem.
Outra método comum de passagem é mudar o tom que está em maior para menor numa mesma música. Vamos observar na música Power of love do cantor Huey Lewis que embora o tom seja C (Dó) a música as notas presentes na Escala Maior (Jônio) e na Escala Menor (Éolio) desse tom como você pode ver:


Cm7            Bb                      Cm7
The power of love is a curious thing
Bb                                   Cm7                            G7

make a one man weep, make another man sing.......
C              C/E               F             G 

You don't need money, don't take fame
C                C/E             F               G
Don't need no credit card to ride this train.....


Nesse caso a mudança do tom menor para o tom maior acontece na hora do refrão e a nota G7 (Sol7) faz a passagem entre os dois tons.
Você não precisa fazer uma "passagem" só com a Quinta pode ser feita com qualquer nota que esteja na escala, veja o refrão por exemplo do clássico
Smoke on the water do Deep Purple:


C             G#          Gm              Gm (A# C)
Smoke...On the Water....Fire in the Sky...
.


Como você pode perceber a passagem aqui é a nota G# (Sol#) e que a música está no modo menor lócrio.

6.Uma salada de frutas
Compor uma música desde seus fundamentos de harmonia até seu solo (se tive algum) é uma salada de frutas. Pode se dizer isso porque a música comercial não passa de poemas musicalizados.
Quando se faz uma música instrumental se preocupa-se muito com o a junção das escalas com sua correta harmonia por exemplo:
Na música Parabéns a você ela possue a harmonia C, F, G e a melodia G G A G C B (parabéns pra você..) então você não verá uma nota como F#, Bb ou G# na música pois ela está na escala maior natural de C Jônio a menos que você "transporte" a música para o tom de C# para incluir estas notas ou faça passagens do tipo outside (fora do tom) na mesma.
O pior problema da música atual é que ela virou refém de certas sequências em todos os estilos.
Claro que existe músicas bem conhecidas com sequências mais complexas, principalmente na MPB e muitas delas nem são do mesmo estilo.
Algumas músicas de sucesso comercial com mais complexidades podemos citar Stairway to Heaven - Led Zeppelin, Terra de Gigantes - Engenheiros do Hawaii, I Will Survive - Gloria Gaynor e Sozinho - Peninha.
E que isso não é para te impedir de quer fazer um música com a sequência C, F, G e sim te alertar para não deixar a melodia parecida com uma música que já foi composta.

7.Evitando o plágio
O certo mesmo é quando você compõe é escutar inúmeras outras para ver se a sua é original.
O problema é que quando não se é famoso a gente procura fazer isso somente para que
nossos familiares e amigos não digam que está parecido com tal música porque na verdade um famoso nem dá bola para esse detalhe, afinal se muitos deles nem não dão bola se estão ou não
afinados no palco, porque se preocupar se a melodia é ou não parecida com outra?
Mas vamos supor que você Zé Ninguém faça uma música bem parecida com uma já famosa, a chance por exemplo do You Tube excluir seu vídeo por se parecido com uma música com copyrights (direitos autorais) e enorme!
Pode levar tempo mas um dia seu vídeo alegando uso "impróprio" de imagem.
Para quem é estudado geralmente se esquiva do plágio tocando a melodia e criando uma "frase musical" diferente para cada linha da composição.
Agora se você ainda não sabe fazer isso ou é por exemplo um vocalista cuja sua única obrigação é compor e que a banda cuide do resto o melhor mesmo é alterar a "harmonia" porque uma nota alterada já força seu ouvido a mudar a melodia vou dar exemplo:
Vamos supor que você criou seu próximo hit com as notas 1º+, 4º+ e 5º+ no tom de "C" (C, F, G) usando o modo grego jônio (escala maior) mas você achou que sua melodia ficou parecida com Nova Iorque - Chistian e Ralf então acrescente mais uma nota menor para mudar a mesma.
Agora você tem 1º+,6º- 4º+, e 5º+ (C, Am, F,G) mas acha que a melodia agora ficou parecida com No woman no cry - Bob Marley o que fazer agora? 
Tente mudar uma das notas ou acrescentar mais uma ou até mudar o tom.
Claro que você não precisa colocar todos os acordes da escala na música para não plagiar outra, apenas aquilo que possa mudar realmente a música e muitas só a mudança de tom já evita isso.
Tudo  isso tudo é culpa da nossa audição como veremos na dica 9.

8.A Letra
Já falei sobre a letra na primeira postagem então aqui só vou dar uns toques finais.
A letra é algo pessoal ou não. Muitas das letras que você se identifica com a situação na verdade foram gravadas para "encher linguiça" no álbum que tinha que ter 10 música e o artista só tinha 9! E acredite a alguns cantores/bandas/duplas que são campeãs nisso!
Me lembro que li uma vez na Guitar World que Ed Van Halen odiava a música Dance The Night Away que é um dos sucessos da banda porque foi feita justamente para completar o álbum Van Halen II assim como Brian May (guitarrista do Queen) não acreditava no sucesso de Bohemian Rhapsody por ser uma música longa com uma letra confusa.
Por isso a única regra de uma letra é só cuidar na hora de compor a harmonia da mesma para que a melodia (como já falado anteriormente) não fique parecida com uma música já conhecida.

9.Compondo
O Calcanhar de Áquiles numa composição é seu ouvido. Isso porque não importe que notas você use você tem cuidado para a melodia ser original pois a partir do momento que você cantar ela seu ouvido registra a mesma e para mudar esse registro você precisa ensinar seu cérebro sobre a nova melodia.
Por isso muitas vezes já gente ouve tantas canções parecidas, pois além do fato de sempre estarem usando os modos gregos possuem geralmente sequência iguais (como citei
Por exemplo esse vídeo abaixo o autor mostra quantas músicas é possível tocar apenas com 1º+, 4º+ e 5º+ da escala Maior. Porém aqui ele usou o tom D sendo que muitas dessas(como La Bamba e Parabéns a você) são em C:



A maioria dos plágios nem sempre acontecem por má fé e sim porque o compositor não presta atenção nesse detalhe!

10.Algumas músicas de sucesso que fugiram do uso modos gregos habitual
Pra finilzar minha última dica é você ouvir algumas músicas que não usam harmonia tão habitual. Essas músicas usaram escalas diferentes e outras mesclaram 2 ou mais modos para fazer sua harmonia. Vamos ouvir as mesmas para entender:

Refrão de Bolero - Engenheiros do Hawaii
Se você está acustumado a ouvir as mesmas notas e gosta de trabalhar assim mas quer dar mais "condimento" a sua sequência essa música é uma boa pedida.
As notas são basicamente Bm,F#m,G,E/G#,A e Aº o truque aqui é algo que a banda usa em algumas músicas como terra de gigantes ou somos que podemos ser que vem do "jazz" chamado walking bass ou seja todas as trocas de notas usam como passagem os baixos das mesmas.
Isso foi um dos fatos porque a banda pode ser considerada a "mais original" dos anos (19)80 no BRock e prova que com um pouco de estudo você faz coisas muito legais.



The End - The Doors
A banda The Doors foi a primeira comercialmente a trabalhar com coisas incomuns: guitarrista tocava guitarra como violão e sem palheta, usar o baixo do orgão assim tirando a "vaga" de um baixista, bateria sincopada e um vocalista tímido com uma voz potente.
A banda disse que muitas vezes que nem sabia mais o compasso que estava tocando ao vivo e isso de certa forma abriu "espaço" mais tarde para as bandas "psicodélicas" dos anos de 1970.
Uma das coisas é que o guitarrista Robby Krieger via uma escala estranha, achava ela bacana e colocava numa música e isso deve-se muito ao seu estudo no violão espanhol.
A música The End tem a maioria das cifras "erradas" porque a música quase não tem harmonia.
O guitarrista simplesmente fez tudo usando uma escala Cigana no caso de D (Ré) fica assim:
 D-E-F-G#-A-A#-C#-D) e a banda foi atrás.
Uma coisa bem curiosa. O som de "citará" da guitarra foi conseguido graças a um acidente:
um dos captadores deu pane e ficou fora de fase, mostrando como tudo pode ser
aproveitado para fazer uma música.



Volare - Gipsy  Kings
A música é uma regravação do cantor italiano Domenico Modugno porém apesar de ser muito conhecida foi estrondoso o sucesso que fez com o grupo Gipsy Kings que são um grupo musical composto por ciganos que tocam rumba flamenca, um estilo musical variante do flamenco tradicional.
Um dos motivos do sucesso do grupo foi justamente pegar músicas tradicionais e dar uma roupagem mais Flamenca que assim como a escala Cigana inclui os modos gregos frígio, mixolídio e lócrio além das escalas egnimática e tons inteiros.
A harmonia de Volare na sua primeira parte é tocada na escala maior de E (Mi) e na parte do refrão ela muda para escala dórica de F# (Fa#) e depois ainda muda
para escala menor de C# (Do#) ou seja, 3 escalas numa mesma música.
Curiosamente quem atua como nota de passagem é o acorde de B7 (Si7)



Nada Mais (Lately) - Gal Costa
Uma coisa deve ser dita: não há música que faça mais mistura de notas e harmonia do que MPB dos anos (19)60 ao final dos anos (19)80.
Isso nós podemos ver nesse clássico da cantora Gal Costa que é uma gravação de um gênios da música americana: Stevie Wonder.
A música praticamente usa todas as notas da escala maior de D (Ré) além de ter várias passagens e mudança de tons. Uma coisa bacana é justamente as passagens para refrão usar notas de dois tons que é G (Sol) e F# (Fa#) algo que a gente já não houve nas músicas comerciais atuais, apenas
nas independentes.



Love Rears It's Ugly Head - Living Colour
Pra terminar uma música de uma das melhores bandas do anos (19)80 e uma das minhas preferidas.
Essa música foi um dos sucessos da banda. A música começa naquele velha sequência de 5º+ 4º+ e 1º+ no tom de E (Mi) e depois no refrão ela muda o tom para D (Ré) usando também outra velha conhecida sequência que é 1º+ 7º- 5º+ 6º+. Note que aqui a nota de passagem é o A (Lá).



Espero vocês na semana que vem para vermos a quarta parte da postagem!!!
Dessa vez iremos ver como montei minha música passo a passo!!!

Ótimas Gravações!!!

Postado por Rafael o KH
Autor do Palco KH Home Estúdio
Músico por profissão e Técnico em T.I!
contato: rafael.kh@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!