segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Gravação: começar de novo


Sinceramente ando de saco cheio de certas gravações. Confesso que ando mais estudando do que propriamente gravando porque acho que na música tudo que estar no lugar e devido a isso deixei de praticar mais para dedicar a mixar e masterizar. Por isso decidi pegar um monte de material já gravado e rafazer o que estiver de errado: arranjos, voz, mixagem, master. Isso pode ser um saco pra quem pode estar querendo lançar um CD, mas para mim que ainda planejo como fazer o meu, porque não pegar minhas músicas, gravar de novo e pedir novamente uma opinião das pessoas? Afinal tenho equipamento, porque não olhar com mais carinho o que ando fazendo?
Ultimamente graças as opiniões descobri que muitos elementos que estava fazendo soar minhas músicas de forma errada: as minhas baterias estavam sem “humanidade”, meus baixos agudos sem “bottom end”, guitarras com distorção demais, vozes com muito “tiny box”. Infelizmente nós seres humanos sofremos com falta de paciência, somos ansiosos pra mostrar o que estamos fazendo e muitas vezes mostramos coisas que não deveríamos mostrar. As últimas duas músicas que mostrei “Vida Normal” e a a nova versão de “Vivo eu” foram mostradas ao público com erros e ainda podem ter ameaçada minha credibilidade com o mesmo, por isso novamente estou revendo os erros ao mesmo tempo que faço novas músicas. Uma das coisas que descobri esse fim de semana que eu que falo tanto sobre “freqüências” não estava ouvindo corretamente as mesmas, porque meus monitores estavam “mentindo” sobre as freqüências agudas. Resolvido isso, numa das regravações que estou fazendo vou mudar a afinação da guitarra para E-A-D-A-B-E.
Isso porque lembrei que muitos guitarristas não encontram o riff que querem, mudam a afinação. E minha voz está melhor do que quando comecei a gravar mas não andam cantando com paixão. Steve vai disse uma vez que antes de começar a compor e a gravar precisamos calar certos “demônios” internos. É muito mais fácil a gente ouvir as críticas do que se perguntar por que estamos recebendo – as. No meu caso, vou tirar um tempo para refletir como anda minhas atitudes criativas e recomeçar tudo de novo.
E você, já refletiu sobre algo parecido?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!