segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Por que é tão difícil imitar um violão ou uma guitarra com o sistema MIDI



Apesar dos sintetizadores e plugins VSTi beirarem a perfeição, existe uma coisa que eles ainda não conseguem fazer:
imitar um violão um guitarra descente. Isso devido ao simples fato: o instrumento é divido em mão direita e mão esquerda.Isso parece meio lógico já que o piano também é assim, mas vou explicar melhor. A mão direita no violão comanda as notas a serem tocadas, já a mão esquerda dá o ritmo as mesmas. Por mais que tente ainda não há como imitar o movimento das "palhetas pra cima e para baixo" do violão/guitarra, até que o dedilhado sai mas ainda o som se mantém artificial justamente por causa desse movimento. Como você pode ver no video tutorial do plugin VSTi "real strat" o músico até tira um som legal do teclado (que na verdade é um controlador do tipo keytar).



Note porém, que ele usa "fita slide" na ponta do controlador para imitar a "palhetada". No video ele consegue o som bem parecido com uma guitarra com overdrive, porém se você pegar esse plugin e passar uma midi em cima, verá que o resultado não será bom, pois a midi não pode prever o momento exato do slide. Me lembro uma vez que um guitarrista (ou tecladista) tocou a música Jump do Van Halen numa Keytar, ele fez o solo de guitarra muito fielmente a música, até hoje realmente não sei que timbre que ele usou para ficar tão parecido com uma guitarra! Outro plugin da mesma empresa (A Musiclab) o Real Guitar simula o Violão.



Note que o som é bom, mas não é tão bom.... E note que o músico usa bastante "o slide". Porém agora escute agora a simulação de uma guitarra com captador midi e sintetizador Roland GK20.



A pergunta que fica é: porque um sintezador não consegue imitar uma guitarra/violão e uma guitarra/violão com sintetizador imita perfeitamente qualquer som?
Além do fator de mão esquerda (solo/harmonia) e mão direita (ritmo) existe o famoso fator "harmônico", pois um violão ou uma guitarra são instrumentos "temperados" ou seja, existe o fator dos "trastes" junto com o som. Os sons de baixo são simulados perfeitamente com sintetizadores quando a intenção é imitar um baixo "fretless" (dedilhado) ou "pick" (palhetado) porém ao imitar um "Slap Bass" (baixo com slap) ele apanha devido a relação dos trastes com instrumentos.

Site recomendados:
www.musiclab.com
www.roland.com.br

Até mais!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Muitas vezes, tudo que você precisa é uma produção!

Continuo a falar sobre produção...Uma coisa que devemos estar cientes hoje em dia que não basta apenas ser um ótimo músico. Já foi o tempo em que a música sobrevivia de boatos, partituras e de olheiros de gravadoras, a maior prova é que gente que tem "muito pouco talento" pra música mas tem "uma boa produção" anda invadindo as ondas do rádio. Esses músicos se aproveitam do seu excesso de "auto estima" e estão se dando bem porque "não dá a menor bola para critíca dos outros músicos" pois o que tentam fazer é agradar o público e sim quando esse critíca ele o ouve com atenção. Nós músicos temos essa "mania" de competir entre nós pra vem quem é melhor que quem e esquecemos do principal, uma frase simplifica tudo: "Não importa o que você faça você irá ter que fazer para mostrar para os outros" e sempre esquecemos que o público não quer saber "que escala foi usada no seu solo" e sim se ele ficou legal ou não. Por isso existe a "produção" com isso o produtor na hora de gravar o seu CD ficará encarregado de e livrar de um monte "peso" que os músicos tem, tais como timbres do instrumento, o que usar para gravar, mixagem masterização, o que poderá cativar o público (sem mexer na música) etc... Uma das coisas melhores coisas produzidas esse ano (se não é a melhor) foi a Lady Ga ga que você ve no video abaixo:

Lady Gaga - Just Dance


Não precisa nem comentar: ela dança mal, se veste mal, ?canta?bem, suas coreografias são ?estranhas? mas a produção de suas músicas é impecável. Lembra o Synth pop dos anos 80 bastante aperfeiçoado.
Aqui não estou dizendo para você "para de estudar" e se concentrar somente na produção, pois "músicos normais" são passageiros, "músicos extraordinários" são para sempre e a única maneira de se tornar "um músico extraordinário" é estudar mas estou aconselhando a você parar um pouco de concentrar "qual o melhor acorde irá soar no campo harmônico" e se concentrar no básico: a música. Um outro exemplo que dou é esse video do Richie Kotzen (ex-guitarrista do Poison) cantando "Lose Again", aqui e mostra a música somente com um violão, se concentrando mais na voz para passar idéia ao público e fazendo notas simples, claro que isso tudo muda quando ele toca com sua banda ou quando grava um CD.



Por isso você que tenta "deslanchar" sua carreira, lembre-se que a produção pode se o toque final na sua obra prima!!!

Abraços

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Do like Michael!!! (Faça como Michael)

Continuando a falar, sobre campo estereo.... Já comentei em outra postagem sobre o "excesso de instrumento numa música", isso leva a tornar a música "fraca", porém Michael Jackson produzia músicas com vários instrumentos e fazia tudo muito bem organizado. Um exemplo é a música "Billie Jean" de Michael Jackson, onde aparecem no minímo uns 15 arranjos com instrumentos diferentes que nem percebemos, escute a música:



Como produtor era uma marca de Michael Jackson "espaçar" os instrumentos. A prova disso que "ao vivo" ele queria reproduzir o que gravaou no estúdio e usava sempre uma "mega banda"



O espaçamento dos instrumentos das gravações e do som ao vivo de Michael Jackson é tão impressionante se você pegar um Compressor e usar um "Hard Limiter" (Threshold -6db Gain - 0.2db) Ele não irá distorcer como a maioria das músicas. Tudo porque Michael Jackson deixava os "intrumentos" respirarem. Por isso, quando você pegar uma música com "muitos instrumentos gravados", use as músicas de Michael como referência!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Escute ao seu redor






Não sou nenhum profissional de gravação, aliás estou bem distante disso....Aliás, existem 6 segredos de uma boa gravação que os profissionais "não revelam" só enrrolam quem está aprendendo (falo isso de experiência própria) são eles:

1) O tipo da acústica do estúdio que gravaram.
2)Os instrumentos e equipamentos usados
3) O que usaram pra gravar (se foi digital ou analógico)
4) Por onde o som passou e foi processado (entrada e saída)
5) O mixer (volume,pan e equalização) e lógico a masterização (processo final)
6)Com o que eles "abrem o som" (equalizador?compressor?)

Por isso uma das coisas que aprendi é sempre escutar as referências. Apesar de não ter nem um 1/4 dos equipamentos necessários para gravar, aprendi que escutando a gente aprende. Quando me pedem tirar uma música uma das coisas que faço é dormir escutando a mesma para que a "música entre na minha cabeça" em gravação além de fazer isso, eu pego um "analisador gráfico" de alguma música "bem gravada" e acompanho no mesmo o andar dela. Compicou? Vou explicar...
Todo instrumento possue um frequência: bumbo e o baixo é grave, a caixa é médio grave, a guitarra e o teclado são grave,médio e agudo, o xipo é agudo, a voz é medio grave e agudo e assim por diante...O que faço é simples:
1)Pego um analisador de espectro (Spectrum Analyser)
2)Escolha uma(s) Música(s) para referência.
3)Coloco a música no meio (onde ela está toda mixada) e congelo o spectro. (Figura abaixo)
4)Após isso, coloco em "solo" a pista que gravei, e vejo onde o espectro da pista está batendo (figuras abaixo) no espectro congelado.















(CLIQUE NA FIGURA PARA AMPLIAR)






isso não é uma regra geral e nem te ajuda a ter um som de estúdio grande.... Mas irá ajudar o som gravado em casa, soar diferente dos outros sons gravados em casa e talvez até de estúdios pequenos. Aliás quem tiver uma pista destes "6 segredos" me fale!!


Abraços!