sexta-feira, 23 de junho de 2017

Coluna do Anício: 10 ilusões mais comuns do músico em busca do sucesso

Salve Pessoas!
Hoje vou fazer uma postagem diferente.
Nada de técnicas ou sugestões e sim 10 perguntas que faço a você com as minhas respostas.
Eu bolei isso depois de alguns e-mails que recebi. Alguns falavam que eram guitarristas iniciantes e perguntavam se era "difícil fazer sucesso".
Outros já eram mais "avançados" e queriam saber onde uma banda (de rock principalmente) poderia se "encaixar" nesse mercado tão louco e muitas vezes injusto.
Eu não sei se sou "a pessoa certa pra isso" pois há tanta gente boa falando sobre isso e até dando cursos sobre isso que me sinto meio "perdido" para orientar alguém
mas já que me perguntaram e eu não posso deixar na mão aqui vão as 10 ilusões mais comuns do músico que procura o sucesso.
Acho que na minha opinião essas "perguntas" para um "músico iniciante" pode encontrar algumas soluções, já para o "músico experiente" pode encontrar alguma orientação.

Boa Leitura!

1.Não importe o que você tocar o público não liga muito pra isso hoje em dia
Em 1977 se você tivesse uma banda e não tocasse Don't Let Me Be Misunderstood (Santa Esmeralda) você tocava o primeiro show no bar e possivelmente não tocaria o segundo pois o público ia reclamar direto com o dono. Em 1987 todos queriam ouvir La Bamba (Los Lobos) por causa do filme que fazia muito sucesso, era uma das primeiras músicas que o dono do bar perguntava se a banda fazia. Quando eu comecei a tocar com banda em 1997, uma das músicas mais ouvidas nas rádios era Pra dizer Adeus (Titãs) contudo o público e nem o dono bar exigiam que você a tocasse e a maior exigência era tocar pelo menos perto do que estava no CD. De 2007 pra cá não vejo mais nenhuma mudança "drástica" no comportamento do público. Claro que a maioria querem que você toque o que está na moda, mas aquela exigência de tocar "fielmente" a gravação já não existe mais entre as pessoas e isso ficou agora é coisa dos viciados em música, fãs e músicos.
Então se você anda com essa "pressão" pode ficar mais sossegado pois o interessante hoje em dia muitas vezes não é fazer uma "cópia fiel" e sim uma "cópia revisada".
Porém isso deve-se muito ao a pobreza de muitas coisas na música atualmente por exemplo como a guitarra solo que praticamente sumiu nessa última década entre os cantores e bandas novas.



2.O preconceito com o trabalho autoral
Não faço trabalho autoral e quando eu crio alguma coisa já incluo no pacote com o cantor (ou com a banda) e não me considero um cara criativo já que muito do que faço vem de "shapes" e "riffs". Porém uma coisa que sempre teve desde que comecei a tocar (a mais de 20 anos) é o preconceito do público com um trabalho autoral. Você quer ver o público te dar as costas num show?
Diga que agora você irá "tocar uma música própria". Por isso a melhor estratégia é colocar a música autoral no meio das "cover" e não falar nada.
Vá tocando até que chegará o dia que alguém (ou alguns) irão perguntar de quem é a música e daí encha o pulmão e diga: é minha!
Nota: essa ideia quem me disse foi o Rafael o autor do blog. Segundo ele sempre funciona!

3.Músico não é uma profissão admirada
Certa vez li num site que o "músico" era a quinta profissão mais admirada.
Isso pra mim é papo. Acho que o site esqueceu de dizer que é "admirada" para
quem tem "sucesso"!
Até hoje (tenho 43 e toco desde os 17) muita gente pergunta o que eu faço e ainda querem que eu diga o que "realmente faço" e isso também acontece com os meus filhos (quando por exemplo tem que confirmar a profissão do pai), tanto que sou formado em "psicologia" e já disse aos meus filhos que quando perguntarem a minha profissão é para dizer que sou "psicologo" pois até explicar que eu sou músico (e ganho a vida com isso) demora demais.
Para a maioria das pessoas músico de verdade é o "famoso"que eles escutam no seu smartphone e para os demais eles só consideram "como profissão" quando você está no palco tocando.

4.Ninguém irá te criticar se você tocar o que está na moda
A maior diferença entre o ano que aprendi a tocar com relação a hoje é que você pode ser ruim, cantar ruim mas se tocar o que está na moda pouca gente irá criticar.
A capacidade de criticar o músico foi perdida aos poucos grande parte porque vivemos numa época onde "criticar é errado" e que "ninguém aceita críticas" porém não se engane em relação a isso.
A verdade é que ninguém irá te "criticar se você tocar o que está na moda".
 A maioria das músicas de hoje (seja o sertanejo ou pop internacional) são tocadas com notas no violão que você aprende em menos de um mês (com esforço).
Contudo nunca se exigiu tanto dos bateristas, baixistas e tecladista como agora.

5.O músico toca mais porque gosta do que outra coisa
Você ouve um músico no palco e não importa o estilo achou genial o jeito de tocar ou cantar. Antigamente esse era o "requisito mais básico" para o sucesso.
Hoje em dia se formássemos uma banda com Yngwie Malmsteen na guitara, Tomy Lee na bateria, Billy Sheehan no baixo e Axl Rose no vocal e eles fossem jovens de 18 a 20 anos  e desconhecidos a chance deles fazerem sucesso seria praticamente zero!
É uma triste realidade porque o critério hoje em dia não é "tocar bem" e sim "quem é fácil de lidar" e principalmente "quem irá aceitar todas as condições" da produtora e gravadora sem questionar!
É por isso que muitos amigos meus que são "sobrenaturais na música" não fazem sucesso!
O que acaba acontecendo é que grandes talentos acabam se sujeitando a tocar (ou gravar) por um preço bem mais inferior justamente para mostrar ao público sua arte ou seja eles tocam mais por gostar do que outra coisa e isso nos leva ao próximo item.

6.Falta dinheiro pra tudo
Não conheço ninguém que teve um projeto seu aprovado pela Lei Rounet (porém não conheço também alguém que já teve a coragem de apresentar um).
A maioria dos músicos tira tudo do próprio bolso quando se trata em matéria de fazer uma música autoral. As bandas que conheço quando gravam conseguem pagar as despesas vendendo o seu CD e somente isso. Não sobra um centavo dessa venda para eles investirem por exemplo no
próximo CD porque eles venderam a preço de custo! E são raros são os que ganham alguma coisa vinda do ECAD quando tem a sorte de ter uma música tocada meio seguido em uma rádio.
Por isso não estamos vivendo uma período de "falta de criatividade" e sim um período que "todo mundo quer a música de graça na internet" e que novamente irá nos levar ao outro item.

7.Hoje em dia todos estão pulando etapas e quem não pula tem poucas chances
Como hoje é muito fácil você gravar com "qualidade" praticamente em qualquer ambiente com os equipamentos certos muitas pessoas (como muitos alunos meus) gravam suas músicas, colocam na internet e querem que o sucesso apareça do nada!
Eu poderia dizer que você tem que fazer o principio básico: aprender, tocar, pegar praticar, testar suas músicas e finalmente gravar, mas nem me arrisco a sugerir isso mais e por quê?
Eu vejo quem faz sucesso no You Tube, quando há clipes muito bem produzidos com músicas "horríveis" pode ter certeza que alguém está bancando por trás (inclusive pagando pessoas para dar like nesses vídeos) e o grande mistério ainda é que dificilmente a gente sabe quem é pois no clipe tem a gravadora (que geralmente é independente) e muitas vezes nem site ela tem, então da onde vem o dinheiro? Por isso talvez pular "etapas" não seja um pecado tão grande como muitos músicos podem achar sabendo que existe algo que pode fazer você pular etapas logo abaixo no próximo item.

8. O Sucesso, O jabá e a palheta do diabo!
Você já viu o filme Tenacious D e a Palheta do Destino? com o astro Jack Black e seu companheiro de banda Kynel Gless?
Se você não viu é um ótimo filme para seu fim de semana!
No filme conta a história de dois músicos que descobrem que algumas super bandas do rock fizeram sucesso porque seus guitarristas tinham a "palheta do destino" como o trecho do filme explica e que você pode ver logo abaixo:



Certo isso não existe (está certo que existe lendas de astros da músicas e seus pactos com demônio) contudo há uma coisa que além de fazer você pular "etapas" te trás o sucesso a curto prazo e é um nome bem comum no meio musical: O Jabá.
Muitos negam que ele exista mas sabemos que hoje dia para que a mídia empurre "alguns músicos tão ruins" alguém tem que injetar dinheiro pra isso acontecer.
Isso não é novidade pois que eu me lembre lá em 1987 (ou antes) já tinha isso sem contar que perto 1994 foi totalmente "usado e abusado" e claro mesmo com "jabá" ainda há músicos bons na mídia
por isso vendo o filme e sabendo que dá "para pular etapas" com certeza o jabá é a palheta do diabo!

9.Se não está na mídia dificilmente o público conhece
Desde que o rádio foi criado lá em ?1920? É obvio que você só conhece uma música que está na mídia. Mas e hoje em dia com internet bem na tela do seu computador, tablet ou celular?
Duvido que você conheça a música Ouro, prata e bronze da banda Únocornios Dourados e nem vai conhecer por que invetei agora! Porém você conhece a música Meu caminho da Banda Fusion?(O link está aqui), possivelmente não, mas a música existe e a banda também e é uma boa alternativa pra quem está procurando um novo rock autoral.


10.Qual o seu objetivo de sucesso?
Confesso que a única vez que tentei correr atrás do sucesso foi entre 1998 e 1999 quando minha esposa (que era a vocalista da banda) compôs algumas músicas (eram 8) e gravamos um CD. Não prensamos de forma profissional e até hoje quando eu ela tocamos em bares ou restaurantes incluímos as músicas no repertório então por isso, talvez eu não seja a pessoa mais recomendada pra dizer a você como fazer sucesso.
Mas como eu dou "palestras motivacionais" posso dizer que essa história de auto estima talvez seja a última forma de conseguir o que você quer pois a gente vê tantos "cantores e bandas ruins" que estão fazendo sucesso e tem auto estima de sobra quer dizer que realmente isso ainda funciona. Não vou mentir dizendo que talvez um "empresário" apareça e invista em você como vemos nos filmes, o que posso te dizer é
o quanto você quer se sacrificar pelo sucesso. Os "homens de jabá" não são ingênuos ou humanos pois senão eles não teriam inventado a maneira mais "baixa" de alguém fazer sucesso. Eles sabem que se tiver uma "proposta indecente" que vai te lançar "nos braços e nas graças do público através da mídia" e você não aceitar tem mil na sua frente que aceitará de bom grado sem parar para pensar.
Por isso Qual o seu objetivo de sucesso?
Regional, estadual, nacional ou mundial?
Uma das melhores coisas da internet é que você pode lançar um vídeo na rede e cair nas graças do público. Já aconteceu com tantos, porque não pode acontecer com você?
Aqui entra aquela velha questão:

O caminho mais curto é perigoso e já o caminho mais longo é árduo e mais trabalhoso

Qual o caminho que você irá pegar?

Bom fim de semana!!!

Que a música esteja com você!!!
Postado por:
Anício de Oliveira
OMB: Anos 90!
Contato:
anicio.guitarra@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!