segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Coluna do Anicio: Pako o Mestre!

Salve Pessoas!!!
Novamente com pouco tempo de escrever! Vida corrida! E não posso me queixar!
Primeiro que agradecer vocês por fazerem uma das minhas postagens se uma das   
10 mais visualizadas deste blog que foi onde falei que rock brasileiro está velho com mais de
100 acessos por dia!  O Rafael até sugeriu a gente fazer um vídeo, mas como não tenho tempo se ele quiser fazer já está autorizado!
Essa postagem começo falando em se doar ou seja fazer algo sem cobrar nada para os outros e primeiramente vou explicar de onde veio a ideia dela.
Ontem o Rafael me disse que encontrou o mestre musical dele e eles conversaram sobre se doar sem receber. O professor dele trabalha em 4 projetos sociais musicais e não ganha um centavo por isso então ele me perguntou se já tinha visto algum caso parecido e sim eu já vi, foi um dos meus professores (meu mestre também)chamado Pako.
O nome dele era Alberto mas tinha o apelido de Pako ou Pako Gato e o porque desse apelido nunca descobri mas a irmã dele dizia porque ele era muito falador como um papagaio e também que conseguia enrolar qualquer um.
Pako era tio do meu baterista lá nos tempo da Laranja (a banda que tinha) e foi ele que ensinou o Marcos (o baterista) a tocar e comecei a fazer aula com Pako por acaso porque Marcos me sugeriu.


Naquele tempo eu só queria saber de tocar hard rock e seus derivados e não queria saber nada de "som limpo" então um dia antes de começar o ensaio Marcos estava tocando um samba na bateria
e achei bem legal. Ele disse quem ensinou foi o tio dele que tocava só isso e MPB.
Era 1996 é o pagode estava em alta (dava uns 300 tipos diferentes de arrepio) e aquilo não me descia de jeito nenhum e afinal tinha uma banda de rock porque me preocupar com isso?
Porém num dia nesse ensaio o baterista estava tocando um pagode e fui inventar de acompanhar e foi um desastre total! Marcos riu e disse assim:

- Cara você toca Fly by Night (do Rush) mas não consegue tocar Caçamba (do Grupo Molejo) só pode ser piada!  Por que você não vem ver eu e me tio tocar? Hoje de noite vamos estar no Sinuca (que era uma bar local).

Apesar de não querer aquilo me soou como um desafio, então peguei minha namorada (que também era roqueira e vocalista da minha banda) e fomos lá de noite.
Chegando lá parecia estava o Marcos, Pako, um baixista e um vocalista. O Marcos já conhecia de todos os dias, o baixista e o vocalista eram razoáveis mas Pako era incrível!
Ele tocava as músicas todas em Harmonia Implícita e parecia dois caras tocando violão em vez de um. Minha namorada foi convidada para cantar e eu para tocar a música One Of Us (Joan Osborne) para um monte de gente que não curtia som estrangeiro! Mas tudo bem tocamos mesmo assim.
Pako (pegou o baixo) me olhou tocar os primeiros acordes e logo já estava fazendo arranjos incríveis no baixo mesmo nunca tendo ouvido a música! E aquilo foi suficiente pra mim virar aluno dele pelo próximos dois anos seguidos.
Primeiro antes de continuar  você precisa saber como vivia Pako pra eu dar o "gancho do assunto".
Ele era um excelente violinista de pagode, samba e mpb (embora tocasse qualquer coisa) e tinha um jeito de Cartola misturado com Robert Jonhson e quando o conhecia já tinha seus 52 anos em 96.
Ele viu toda a música brasileira nascer conhecendo gente importante (e até gravando) com essas pessoas (não vou falar o nome delas por ética mesmo) e tinha uma incrível bagagem de história musical e tudo isso porque ele não vivia de música ele era a música!
Pako apesar de ter inúmeras mulheres (sério o cara tinha 52 e conquistava meninas de 20!) nunca casou, nunca teve filhos e nunca teve residência fixa pois ele saía pelo Brasil afora tocando
e tocava ora por uma boa quantia, ora por uma passagem ou uma noite num hotel e até muitas vezes por almoço ou janta!
Quando ele vinha pra cá ficava na casa da irmã (a vó de Marcos) e morava uns 6 meses e nos outros 6 meses se mandava pelo Brasil fez isso durante 30 anos até que um ataque cardíaco (ocasionado pelos exageros da boemia) obrigou ele morar definitivamente com a sobrinha (que é a mãe de Marcos) .
Pako não podia mais fazer o que gostava então começou a ensinar os sobrinhos música. Gostou da ideia e começou a dar aulas para garotada na garagem da casa da sobrinha tudo custeado por ele
tanto que muitas vezes um aluno não tinha dinheiro pra comprar um violão, ele ia comprava para ele e geralmente esses alunos se tornavam excelentes músicos.
A primeira aula com ele não fácil porque Pako não escondia o que sentia (vai por isso nunca casou) ele simplesmente "destruiu" os meus ídolos dizendo que qualquer um consegue tocar como um "enxame de marimbondos" se praticar, mas esses caras não sabiam fazer "harmonias" tanto que a prova é que eles nunca saiam do mesmo grau e antes de você achar que ele não gostava de rock
e que só tocava tetradés ele tocava muita coisa de Cream, Emerson Lake & Palmer e Santana e fiquei tão bravo que não apareci nas outras aulas até que ele foi num ensaio nosso me buscar para continuar as aulas.
Então ele me ensinou a gostar da música brasileira e nunca me cobrou um centavo, porém quando ele começou a ficar mais debilitado, eu e o Marcos começamos a dar aulas no lugar dele e na verdade
foi assim que aprendi a dar aula para vários alunos ao mesmo tempo de violão.
Em 2001 o senhor tempo cobrou o exageros da boemia(ele tinha 57) e levou Pako e hoje em dia só quem teve aula com ele para saber como ele era pois esse homem não tocava música, ele era a música!
Nunca sonhou com fama ou sucesso e uma vez perguntei a ele o que a música tinha dado a ele (isso foi uns meses antes de dele morrer) e fiz justamente essa pergunta porque estava com a namorada grávida e teríamos que abrir mão da música pois iremos fazer faculdade e construir uma família e ele disse:
 "Anício! Não seja tolo de deixar a música de lado! Ela é um presente divino! Poucos tem esse dom! Veja na tv! É tanto jabá com pessoas sem dom que eles  insistem a você que aquelas pessoas tem dom! Enganam bem mas não tem! Nunca quis fazer sucesso com música e poderia até ter feito mas tudo o que eu que quis a música me deu.
Tive tantas mulheres quanto esses famosos, ganhei dinheiro e perdi dinheiro, nunca tive inveja de ninguém nem nos piores momentos como daqueles que tinha que tocar num bar de rodoviária
Só em troca de 2 pastéis e um refrigerante! Não me arrependo!
Ensinei nesses últimos 12 anos para tantos músicos fantásticos que sempre vão se lembrar de mim e você sabe que nunca cobrei nada e aliás até instrumentos comprei para dar  para meus alunos mais carentes. A música me deu tantos bons amigos que só posso partir feliz daqui e com a sensação de missão cumprida.
Você é jovem! Sua esposa é jovem! Não vão ter problema nenhum em conciliar estudos, filho e música! Tantos já fazem isso, por que você não que é um cara tão esperto?"


Pako salvou a vida de muita gente e não por causa quer era um herói, e sim porque ensinou muitos meninos e meninas a ter esperança no futuro e a ter um futuro!
Aquelas palavras dele foram que me fizeram seguir na música (embora com o pé mais firme no chão) e hoje também dou aulas gratuitas para quem não tem condições (minha única regra é não faltar) ele poderia ter levado todo conhecimento dele para o céu, mas quando ele viu que não iria viver para sempre compartilhou tudo com o mundo e fez muita gente feliz.
Pouca gente sabe mas Pako recusou proposta de gravadoras!
Ele disse que não precisava da fama. Disse que a fama tinha enlouquecido bons amigos dele.
Eu e Marcos achávamos essa atitude um pouco radical, mas agora que vejo muita gente que fizeram sucesso nos anos 90 "mendigar" por atenção com "hits" (que já eram ruins naquela época) percebo que Pako tinha razão. É o que sempre digo para meus alunos: fazer uma música hoje em dia é fácil tão fácil que muitas delas só precisam de "loop e rimas".
Se você escrever no You Tube "música própria ou música independente" aparece muitas coisas boas e muitas coisas ruins junto, o problema é como chegar ao sucesso.
É fácil criticar que a música está uma bosta hoje em dia mas o que as pessoas esquecem é que os "artistas ruins" além de serem mais humildes (pelo menos antes da fama) que os "bons artistas" estão dispostas a fazer mais coisas para alcançar o sucesso e claro que muita coisa não é "bonita nem agradável" mas daí depende de cada um.
Tenho saudades da história de Pakos sua vida foi fascinante como a de qualquer músico famoso e a muitos "Pakos" por aí, basta encontrar! Como ele mesmo dizia:

Música é como um coração de mulher! Sem luta e bons argumentos você nunca irá domar!

Aproveito para deseja a todos os leitos do Palco KH  
FELIZ NATAL E PROSPÉRO ANO NOVO! 

A partir de amanhã (dia 20 de dezembro) começa minha saga de tocar nos bares do litoral! Vamos ver que histórias me aguardam!!!
Forte abraço a todos!!!

Que a música esteja com você!

Postado por:
Anício Oliveira
Músico, Professor, Sideman e "filosofo" nas horas vagas!
OMB:11???(não lembro mais faz anos....)
Contato:
anicio.guitarra@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!