segunda-feira, 14 de julho de 2014

Gravação: quem não tem rack vai de pedal

http://www.mundomax.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/11/setup-Pedal-Landscape-Boss.jpgUma das minhas primeiras experiências com gravação foi ser assistente de produção do meu primeiro (e mestre) professor de música.  Ele é um ótimo violinista/guitarrista (pra mim será sempre o melhor por uma questão de querer ser igual a ele) mas em matéria de gravação fazia tudo bem simples porque ele não alveja ter uma gravadora ou produtora, apenas gravar para si, amigos e alunos. Eu me lembro que nós usávamos uma antiga Mesa  Tascam que tinha fita cassete (nem ADAT era) e não havia nenhuma espécie de rack, somente alguns pedais. Por exemplo, não tínhamos uma “câmara de eco”  ou um “processador de efeitos”, para isso usávamos o conhecido Boss DD-2 Delay e assim conseguíamos bons resultados. Os efeitos para guitarra eram feitos com a primeira pedaleira que tive na vida. A famosa Boss ME-8 e ainda devo ter em casa algum trabalho que fizemos jogado no meio dos meu Cds. 
Os pedais foram meio “descriminados” pelos músicos (principalmente guitarristas, inclusive eu faço parte da lista) nos últimos 18 anos  devido a popularização (e a queda de preço) das pedaleiras (principalmente depois de aparecer várias marcas e tipos) e lógico isso parecia a “solução dos problemas” mas agora sabe-se que era mais ilusão. Pedaleiras são perfeitas para apresentação ao vivo, mas para gravação o conjunto pedais + amplificador valvulado ainda é imbatível.

 Hoje em dia pedais estão bem caros (comparados que quando começou a febre das pedaleiras um Boss Turbo Overdrive que você comprava por R$50,00 hoje não compra por menos de R$ 300!) porém ainda são uma excelente opção “custo beneficio” para quem grava em casa ou está começando com um estúdio mais modesto pode apelar por usar “pedais” ao invés de “racks de efeitos” porém para não comprar um “elefante branco” alguns conselhos é bom seguir (ou não) para não investir errado!

Como saber qual pedal comprar?
Primeiramente você tem que definir “para que usar”. Após isso você tem que “ouvir o pedal” (seja ao vivo ou pela internet com qualidade HD e não pode ser aquelas de câmera digital). No mercado há vários tipos de pedais com vários fabricantes. Pedais como Behringer e Digitech circulam na faixa de R$ 200,00 assim como Onner e Nig porém pedais e rack baratos podem trazer “dores de cabeça” e  por isso precisam ser bem escolhidos . O “rei” dos pedais ainda é a marca Boss mas esses variam de R$250 até R$ 800 assim como outras marcas como Marshall, Vox e MXR!!! E por isso nem todo pedal será uma boa opção. Um pedal como um Boss Reverb RV-5 custa em média uns R$700. Já um rack Alesis Midiverb 4 também está nessa faixa. Então qual é melhor comprar? Um pedal foi construído por padrão para ser uma unidade de efeito “compacta” ou seja, muita coisa dentro é reduzida em comparação a um rack (vamos supor que no pedal exista 4 capacitores responsável por um função, num rack serão uns 12) é por isso que  na hora de comprar você tem que olhar se existe um rack equivalente para esse pedal, a marca e qual dos dois compensa comprar. Se for um rack de marca (mesmo usado) como Alesis, Yamaha, Zoom, Landscape... Dá para comprar sem medo!!!! Outra coisa que nem todo pedal caro e de marca é bom, assim como nem todo pedal barato é ruim. 

Quais os melhores pedais para meu home Studio?
Pedais se baseiam muito na “frequência” harmônica de seus instrumentos e é por isso que os de guitarra encaixam bem para o teclado e a voz (pois eles tem muitos harmônicos em comum) e os de baixo casam melhor com violão, porém é tudo uma questão de escolha.  Uma boa dica é ter por exemplo um compressor, um chorus, um delay e um reverb pois como eles são praticamente “efeitos” padrão, gravam bem usando qualquer instrumento ou voz. Porém lembre-se que muitas vezes esse conjunto, pode valer o preço de um rack  e isso conta na hora da gravação. Alguns pedais efeitos  podem não casar com voz mas provavelmente não casa com outra coisa! Eu tive um Behringer Sustain/Compressor e ele tinha um som “pesado e grave” tanto para guitarra, voz ou baixo. Já com um Boss do mesmo tipo, nunca me aconteceu isso.

Pedais e plugins
Uma coisa é que você usar uma “cadeia de pedais” e colocar um plugin VST em tempo real é que o som sai muito melhor (até mesmo gravado) do que você gravar primeiro o som com os pedais e passar o plugin por cima. Em todas as gravações que faço uso os pedais para guitarra, violão, voz e teclado. O engraçado que usando uma das pedaleiras que possuo o resultado fica extramente diferente, tudo fica muito artificial.

Pedaleiras também dão certo?
Hoje em  dia as peladeiras de 1º Linha como Boss GT-100, Line 6 Pod Floor e Digitech RP1000 possuem entrada XL/R que é a entrada de microfone sem contar que há pedaleiras para quase todos os instrumentos e até para voz. No estúdio possuo 3 que são relativamente “baratas”  e “antigas” que é uma Behringer Vamp 2, Zoom 707 II e Behringer X-Vamp e nenhuma delas “serve” para outra coisa além do seu instrumento original: a guitarra, por isso se uma dessar pedaleiras “caras” com entrada XL/R funciona com outros instrumentos, teste e me diga, porque não sei também!

Fique de olho nos usados
Pra terminar, fique de olho em usados seja tanto em pedais ou rack. Fique esperto, em muito sites há certas “barbadas” por muito menos que se pensa. Muita coisa de marca está barato e essas coisas não envelhecem, basta esperar a oportunidade e pega-lá

Abraços!!!






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!