segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Equalização: sobe ou desce? Parte 1

 Salve! 
Desculpe não escrever nessa duas últimas semanas, é porque estou novamente envolvido em minhas músicas e ando bem sem tempo mesmo! A postagem de hoje não é preciso definir o “ranking” (fácil-médio-difícil) porque é uma coisa pessoal e mais um conselho.
Como você deve ter lido aqui, em livros ou em outros sites, muitos engenheiros de som repudiam a idéia de “equalizar subindo” outros não.
Primeiramente quando a gente lê um assunto tem que estar ciente de quê “o equipamento do autor nunca corresponde sua realidade” (pode ser mais ou menos) e que cada um tem que tirar “água da pedra” com que possuem no momento e é por isso que a ideia do “sobe ou desce” deve ser bem analisada.
 Imagine o seguinte: você tem os melhores equipamentos, os melhores instrumentos, os melhores músicos, o melhor ambiente, então porque subir? Tudo já estar no lugar! Basta cortar. Então agora pense ao contrário: seu equipamento é simples, porém você tem alguns plugins e loops legais e muita criativa . Quando você grava se segue a história de “cortar” percebe que som está muito “fraco e demasiado” e isso deve ao fato porque “você não tem nada pra corta” e sim “ajustar” e nesses casos “tentar aumentar” não será nenhum pecado” e sim “uma saída”. Então “o que cortar se não a nada pra cortar”? Realmente, mas se você deixar “tudo assim” o som saíra embolado. Por isso vamos ver alguns passos:
 1)Separe normalmente os “Aux/Buss” (voz, bateria, cama, guitarra). Ao invés de colocar “compressor” coloque um “equalizador paragráfico” 

2)Mixe usando apenas o “Pan e Volume” somente os instrumentos e não a voz. 

3)Sinta o som... Quando você achar que um timbre está muito “fraco”, faça uma varredura (sempre aumentando) com o equalizador até encaixar o mesmo no seu ouvido (muita gente utiliza essa técnica). Se ele ficar mais alto que outros instrumentos da seção, abaixe o mesmo

4)Feito isso libere a “voz” e onde a mesma for encoberta, use o equalizador para cortar e ajustar os instrumentos (deve se vez sempre cortando) A questão principal aqui é a voz. Essa é complicada mesmo de aumentar, sem causar um “impacto direto”. Caso a música seja apenas instrumental, basta trocar a “voz” por um instrumento.. 

 Semana que vem, vamos ver esse mesmo assunto com exemplos e vídeo, da minha nova música “Feel the Beat” para você entender o assunto!

Ótimas gravações!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!