segunda-feira, 23 de julho de 2012

Gravação: explorando o reverb natural

 DIFICULDADE: FÁCIL
 Salve! O reverb para quem grava em cas atem sido uma verdadeira “armadilha” pelo simples fato de física (acredite cai muito nessa quando comecei a gravar). A maioria sabe que devemos "tratar o ambiente" para temos uma melhora qualidade de gravação, mas se estamos sem dinheiro pra investir nisso, que tal explorar seu reverb natural que vem de onde você grava? Você pode se surpreender!
Imagine você num alto de morro e dá um grito, mesmo que ninguém te ouça você escutará no horizonte sua voz esse é famoso efeito natural chamado “eco” e por isso vamos entender como “esse eco atua” a partir de um ponto de origem.

Como meu home studio pode está gerando reverb? 
Como quero fazer com você entenda o “X” da questão não vou embanar sua cabeça com muita coisa por isso resolver fazer essa figura baseada na sua casa quando você dá um grito e a resposta do reverb em ms (não é calculado).






 A linha vermelha indica um grito dentro da SUA SALA (5 ms de resposta) 
A linha roxa indica um grito dentro da SUA COZINHA (4 ms de resposta) 
A linha laranja indica um grito dentro do SEU QUARTO (3 ms de resposta)
 A linha verde indica um grito dentro do SEU BANHEIRO (2 ms de resposta)
 A linha cinza indica um grito dentro do SEU ARMÁRIO (1 ms de resposta)

 A primeira coisa que você pensará será: quanto menor o espaço menos reverb vou ter  não é bem assim (uma vez achava que era) gravar numa armário, reduz o reverb mas não tira! Você gera um reverb “tiny” (minusculo) e ao mixar e colocar um reverb por cima acontecerá como a figura ao lado, não que seja errado, mas dependendo do estilo que está gravando pode não casar! Mas se bem que tudo é uma questão de experiência. Muita gente elogiou o reverb presente na voz da minha música Vontade de Amar  que é bem anos 80, mas o meu maior segredo foi ter gravado numa sala onde havia o eco natural, e aos poucos dosando com reverb small (pequeno) fui chegando no resultado que queria. Muita vezes quando temos um ambiente  que nos dá um reverb natural sem conflitos e sem enfraquecimento de médios, às vezes basta colocar um delay e deixar assim mesmo, o vocal de RIO do Duran Duran mostra claramente um vocal gravado em uma sala média com reverb natural proposital. Claro, devo lembrar que ambientes não-tratados podem interferir direto nas frequências médias e médias altas, porém alguns ajustes com um equalizador podem resolver.

Undo Reverb?
 Essa eu li no site  Audição Critica.
 UNVEIL é um plug-in de "desmixagem" em tempo real que permite atenuar ou reforçar os componentes de reverberação existentes em um sinal mixado ou em material mono, além de poder alterar as características do reverb. Além disto, o UNVEIL permite destacar determinadas características de uma gravação, trazendo um determinado instrumento para a frente ou movendo -o para trás, atenuando ou realçando a percepção dos componentes do sinal menos importantes. Usando a tecnologia de inteligência artificial MAP (Mixed-Signal Audio Processing), o plug-in também ajuda a remover reverberação indejesada em diálogos e gravações externas, "secar" o conteúdo de gravações antigas onde haja muita reverberação e limpar a ambiência de sons naturais captados para uso em sonoplastia. Se for verdade isso, problemas de reverb tiny nos home studio podem serem resolvidos, porém o plugin só está disponível ainda em RTAS e para MAC.


ÓTIMAS GRAVAÇÕES!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

O novo som que rola por ae: Vulca

Vulca | Blog OficialO Vulca é uma banda que desde 2003 faz um som que desafia rótulos, que desafia a ordem social, que desafia o limite do volume que seus ouvidos aguentam. Quanto mais alto se ouvir, melhor. Quanto mais se sentir, melhor. Afinal o Vulca faz música para se sentir, e não para se entender. Desafie a curiosidade: myspace.com/oficialvulca


segunda-feira, 16 de julho de 2012

Mixagem: tire proveito das "only tracks"

Salve!
Na última postagem falei sobre o uso importante do analisador do plugin Ozone. Há tempos vivo falando pra você prestar atenção em plugins de análise. Bom, agora veja o motivo!

DIFICULDADE: Difícil
DAW: Qualquer uma
PLUGIN: Ozone (3/4/5), Roger Nicholson Inspector, Waves PAZ ou qualquer analisador de espectro

1)Você já ouviu falar Only Tracks?
A primeira vez que ouvi falar do termo foi no site do produtor Dennis Zasnicoff
explicando o funcionamento do vocal da música do Kiss "Detroit Rock City"  e a principio achei que ele tinha a track (pista) do vocal dessa música. Porém se você digitar no you tube "only track" voc~e verá que a aparecerá resultados para a gravação individuais de várias pistas, como vocal, guitarra, teclado, baixo e bateria. Não se sabe direito a origem disso (da onde conseguiram as gravações) mas para quem grava em casa ou estúdio foi uma "benção" pois podemos ver com um analisador quais as frequências que os produtores cortam ou aumentam. Como no caso da música da figura ao lado, onde analasei o vocal da música "Just Dance" de Lady Gaga em relação a um vocal que gravei. A linha "roxa" é o vocal da música e a "linha verdade" são as correções que fiz no meu a partir do mesmo. Claro, não é assim que funciona, para você ter uma "qualidade igual" teria que ter um "equipamento igual" e não vá achando que copiar essa frequências na sua música sendo que o vocal foi gravado num microfone de "baixa qualidade" irá ficar a mesma coisa! Isso como digo é uma base pra você saber pra onde seu som está indo...

2)Como faço para analisar?
Primeiramente você deve pegar um programa que converta vídeos do "you tube" e pra isso existem vários (confira a pesquisa aqui) ou algum plugin de navegador que faça isso. Após isso você tem converter para "MP3" o som do video. Feito isso basta apenas passar o analisador na trilha que você baixou e comparar com sua trilha! Após isso, você pode tentar "corrigir" ou "assimilar" sua trilha com um equalizador, copiando a "only track" que converteu.

3)O que está disponível?
 As música do Metallica Entersadman e Master of the Puppets está disponível todas as trilhas
Os demais somente uma pista ou duas, cabe você pesquisar, achar e analisar. A maioria delas está em versão "pre master" ou seja, somente os AUX/BUSS (por exemplo, toda a bateria, todos os vocais e todas as guitarras), porém a trilha baixo a maioria está com "pista individual" assim como alguns teclados.

Agora cabe a você fazer esse trabalho para "aprimorar" tanto em plugin de análise quanto em mixagem e gravação. Lembrando que além das frequências, você pode ouvir os "efeitos" dos instrumentos e preste também atenção nos canais esquerdo/direito individualmente, eles também tem muita coisa a ensinar!!!

Abraços!!! Bom Trabalho!





sexta-feira, 13 de julho de 2012

O novo som que rola por aí: Radyola

Com um repertório contagiante, músicas dançantes que fazem todos cantarem junto, a banda vem conquistando mais fãs por onde passa.
Após seis anos de estrada a Radyola é considerada uma das bandas de maior atividade do estado de Santa Catarina. Nunca deixando a raiz Poprock, a banda faz jus ao seu nome e passeia nos principais sucessos de todas as décadas, mesclando com suas composições.O resultado é um repertório comercial onde cada pessoa relembra, canta e danca com muita energia do inicio ao fim do show.
Conheça a NOVA VIBE da Radyola!

Escute a Radyola!

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Mixagem: trabalhando com o Izotope Ozone usando seu equalizador

DIFICULDADE: MÉDIA
DAW: QUALQUER UMA
PLUGIN: Izotope Ozone 3/4/5 (baixe aqui a versão 4)

Salve! Ficamos parados um tempo sem escrever pois estamos (graças a Deus) trabalhando sem parar! Eu prometi uma postagem sobre como fazer sua mixagem "soar milagrosamente a partir da voz" porém não adianta nada sem saber usar a ferramenta principal para isso acontecer: o equalizador/analisador do plugin Izotope Ozone. É importante você entender o "funcionamento" do plugin, já que minhas próximas postagens vou falar muito sobre "equivalência de frequências".
Nessa postagem vou postar algumas videos aulas do Ozone e explicar o que elas falam.

1) Equalizador do Ozone


O equalizador do plugin é paramétrico possuindo a função de analisador (spectrum analyser) trabalhando  com funções low self, notch (bell) e high self onde você pode definir o tamanho da "oitava" (Q band). A opção Snapshot faz com que você possa tirar "foto" da movimentação da música, atráves do analisador de espectro que mostra como está o comportamento da música em comparação a outra.

2)Usando "Spectrum Analyser"



A parte do video que interessa começa em 03:24 na parte onde inicia a explicação do "peak hold" (que são as formas em segundo plano do spectrum) onde o produtor mostra onde muda o "tempo" do espectro de 500 ms, para 100 ms, 1s e finalmente para "infinite". A função infinite é que abre as portas para a comparação do seu som com um uma música "comercial" e permite comparações profundas entre as gravações. Já em 04:20 é mostrado a mesma função, porém usando o espectro de 1º plano e novamente a função "real time" passa por vários tempos até chegar em "infinite". Essa função é super importante, pois ela irá mostrar como está o "comportamento" do som. 

3)Matching EQ
 Pra mim o melhor truque do plugin, pois os criadores tiveram a idéia de fazer sua gravação copiar a colocação de frequências de outras gravações. Não é muito simples fazer o truque, e necessários cometer alguns "erros". o video está em espanhol mas legendado em inglês:

 


Como você pode ver, o "matching EQ" tenta fazer sua música forçar sua música a ficar com o mesmo tipo de equalização do espectro, mas não ache que é assim tão simples, em uma músicas funcionando muito bem, mas na maioria não se nota diferença, daí você é obrigado a mexer em outros parametros como reverb, compressão e harmonic exciter, porém se você colocar mais referências e ajustar todas ao seu som,poderá ter um resultado muito legal, como mostra o video a partir de 01:30.

Por enquanto é só pessoal! Semana que vem vamos falar mais dessas funções, usando uma música minha como referência e outra será uma "bem famosa" avaliada, passo a passso!!!

Abraços!!!