segunda-feira, 28 de maio de 2012

Teste de plugin Guitar Rig 5

Salve!!! Pra começar a semana vou falar finalmente de um plugin que estava pra testar, daí adiava daí aparecia outra coisa e assim por diante. O Natives Instruments Guitar Rig 5 já muito usado por aí pelos guitarristas. O meu teste é baseado nas diferenças do 2 até a versão 5 do Guitar Rig.

De 2 a 5

Quando saiu a versão do Guitar Rig 2, revistas do mundo todo anunciaram como a revolução dos "simuladores" na versão plugin (parecido com que fizeram com POD XT da Line6) e quando eu usei em estúdio para gravar a música Por Quê? e isso foi em novembro de 2004 eu tive que gravar "tudo no limpo" e depois foi passado o plugin, pois na epóca foi gravado com uma SB  Audigy e ainda não havia sido inventado o emulador ASIO e por isso somente as "placas mais caras" tinham acesso ao plugin em tempo real. Quando saiu o Guitar Rig 3 ele tinha exatamente  as mesma simulações e acrescentam mais 3 amplificadores e 3 pedais de distorção, mudaram a emulação de cabinete mas confesso que parece que os "timbres" não estavam a mesma coisa que no 2 e quando saiu o Guitar Rig 4 apesar de simulações novas (incluindo pedais de modulação) o timbre não mudou quase nada do 3, ficou pesado para CPU, menu de acesso confuso e Native Instruments perdeu totalmente o espaço para a Revalver (com MKIII), Waves (com o Waves GTR 3) e o IK Multimedia (com o Amplitube 3) e além do mais o Guitar Rig caiu muito no raking das revistas especializadas e depois de umas atualizações (incluindo uma versão portable) resolveram lançar o Guitar Rig 5


O que vi de novo?
Pra começar, posso dizer que esse é o melhor Guitar Rig pois os timbres estão mais puros e reais. Além dos modelos de amplificadores anteriores colocaram mais 3 incrivelmente reais e sem contar que o uso de CPU caiu muito e ainda há requisito de segurança: quando ela passa dos 96% o plugin trava e pede para rever o "excesso de efeitos".  Para "imitar" um sintetizador existe vários efeitos criados para isso "facilmente isso. Agora também possue "modelagem de espaço" como no amplitube 3, ou seja você posicionar o microfone onde quiser no falante.


O que há nele?

Amplificadores: Plexi (Marshall Plexi 1959) JCM800 (Marshall JCM800), Jazz Amp  (Roland Jazz Chorus), Twang Reverb (Fender Twin Reverb), Hot Plexi (Foi um Plexi modificado que Ed Van Halen usou nos discos da banda na era David Lee Roth), Cool Plexi (Marshall Plexi 1960), Jump (Marshall JMP), AC BOX (Vox AC30), Citrus (Orange OverDriver OD120), High White (Hiwatt DR103),  Gratifier (Mesa Boggie Dual Rectifier), Hot solo (Soldano Hot Rod 100), Tweedman (Fender Bassman), Ultrasonic (Bogner Uberschall), Tweed Delight (Fender Tweed Deluxe), Bass Pro (Ampeg SVT2 pro), Rammfire (Mesa Boggie usado  Richard Z. Kruspe  do Rammstein)   e Van 51 (Peavey 5150 ou 6505)

Leia AQUI a relação de efeitos, cabinetes, microfones e falantes. 


Videos





Prós
Amplificadores mais realistas
Função "Reschord" que reforça seus acordes (muito bom para rock)
Função "control room" que controla o ambiente
Efeito "stereo tune" permite posicionar seu campo estereo
Komplet Effects: efeitos originais da Native Instruments desde compressores, equallizadores, expansores estéreos e  reverb multi uso.

Contras
Novamente não há harmonizer inteligente como o do Amplitube
Dificil de editar/salvar/carregar presets ou bancos (assim como o Guitar Rig 4)
Player (cassete) não produz sample rate real (deixa tudo obscuro)



Baixe a versão "demo" e tire suas conclusões AQUI! (Não precisa de cadastro no site)


Boa semana!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!