terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Plugin Teste: Izotope Ozone 4

Vamos lá guerreiros do som dessecar mais um plugin.
Dessa vez o mais famoso deles na categoria “master”: o Ozone na versão 4. Um plugin tão bom que vale a pena ver o livro oficial do mesmo que é de graça, chamado
Master Guide (clique para ver). Se pudemos colocar apenas um plugin na nossa máquina, sem dúvida ele seria esse! Ele trabalha por módulos que chegam muito próximo ao som analógico (dependendo sua placa de som.











A cadeia dos módulos segue assim:

EQ – Reverb – Dynamics – Exciter – St.Imaging – Channel Ops – Loudmax – Spectrum – phase meter

Para entender melhor o plugin acompanhe esse vídeo em espanhol. Logo abaixo tem em detalhes o módulo e o tempo no vídeo (a coisas escritas que não estão no vídeo).






1)Paragraphic Equalizer (Equalizador Paragráfico) (0:53)
Para mim, esse é melhor equalizador em plugin que há e uma pena que não tenha uma versão só. Recetemente a Izotopo lançou os módulos do Ozone separados, e para minha tristeza o equlizador não esse (fiz um teste com esses plugins e irei comenta los numa próxima postagem) por isso ainda uso ele com uma série de outros plugins quando mixo pistas separadas (que é um saco, já que o Ozone consome muita memória em conjunto) e vou escrever porque o considerado o melhor equalizador em plugin já feito.

A)Interface intuitiva – Logo quando a gente entra nesse módulo vemos 8 bandas que podem ser facilmente configuradas. Para regular as oitavas por exemplo, basta aumentar ou diminuir as chaves [ ] que há entre as bandas e puxar para cima ou para baixo.

B)Possue os seguintes modos de bandas: lowself, bell (notch) e highself.

C)Possue “analyser spectrum” (analisador de espectros) cujo os valores podem ser mudados para 1 sec, 3 sec, real time ou infinite. Isso é ótimo, pois podemos ver o comportamento das freqüências na música. Sendo possível mudar o mesmo.

D)A função Snapshot, faz com a gente possa capturar as freqüências de um música comercial e comparar com nossa gravação. Com essa opção, podemos usar a função “match” (idêntico) (no mesmo campo onde fica a escolha de onda para analog e digital) que faz com que nossa música ganhe características da música analisada.

Dica Palco KH
Esse é único plugin que possue essa interessante função, chamada “match”. O video abaixo vai te ensinar como usar ela (em espanhol):
I


Porém, não ache que é só gravar pegar o plugin e colocar “match” que tudo vai ficar bem! Essa função nos ajuda a melhorar nosso master, porém em muitas vezes você vai precisar ajustar as freqüências e intercalar com as outras funções. Lembre –se que essa é a etapa final da gravação, a mixagem deve estar em ordem para ela funcionar.

2) MultiBand Harmonic Exciter (1:16)
Aqui começa as funções legais o Izone. Na verdade, todas as 3 funcionam em conjunto.
Harmonic Exciter, tem a função de trazer para mixagem, harmônicos escondidos, principalmente de violão, guitarra, baixo, piano, voz e conjuntos de bateria. Essa função para uma MIDI ou para um VSTi quase não tem utilidade. Ao mesmo tempo que você pode trazer harmônicos (são das fundamentais) você também pode tirar o excesso das mesmas (muito útil para aquela guitarra distorcida cheia de sons de trastes) você pode escolher o “filtro” que ele irá trabalhar (tape, warm e retro). Essa função trabalha em conjunto com o compressor.

Dica Palco KH
Muita vezes, quando não consegue “abrir” o som no equalizador, tente usar essa função juntamente com o compressor para empurras as freqüências de 120 Hz a 4 kHz com + 2 dB, de 2 kHz a 10 kHz com – 1 dB e 10 – 20 kHz + 1 dB. Você terá que escutar a freqüência para chegar no resultado desejado.

3)Mastering Reverb (2:08)
O mastering reverb, é um reverb onde nos podemos difinir sua área de atuação. Ele possue apenas dois modos: room (que simula um quarto fechado) e plate (que simula ambiente de estúdio) sendo assim muito útil para deixar nosso som num mesmo ambiente. Nele encontramos funções comuns nos reverbs como room size (tamanho da sala), room width (largura da sala), room damping (o quanto a sala absorve) e pré delay (atraso depois do som do reverb), dry (favorece o som seco), wet (favorece o reverb), correlation (se o estéreo está com fase) e phase (como o reverb está atuando na fase). No topo central, entre duas colunas, temos a “área do reverb”, isso é muito interessante, pois por exemplo, se quisermos que o reverb atue só nas freqüências agudas, colocamos essa coluna entre 2 – 4 kHz ou até num instrumento separado. Por exemplo, se queremos destacar o reverb na voz, colocamos as colunas entre 200 – 600 Hz.

Dica Palco KH
Varra as freqüências em busca do reverb que você quer! Por exemplo, se você colocar ele entre 20 – 250 kHz irá favorecer toda a seção da bateria. 1 – 4 kHz irá favorecer a voz e todos instrumento de médio alcance. 10 – 20 kHz favorece instrumentos muitos agudos como os xipos.

4) Multiband Dynamics – Multi compressor (3:12)
Esse compressor multibanda é show. Ele trabalha em conjunto com exciter, porém podemos definir o ponto que ele para/atua no som. Além de compressar as freqüências, também trabalha como um compressor normal (com ratio, threshold, attack, release) basta apenas, você deixar o mesmo com apenas uma banda. A vantagem dessa compressão, que podemos mexer no graves (20 – 120 Hz), médios (120 Hz – 2 kHz), agudos (2 – 10 kHz) e agudíssimos (10 – 20 kHz) sem mexer com equalizador. Por exemplo, para cortarmos a silibance (sss) numa voz, coloque o compressor entre 5 – 7 kHz e dose até a mesma sumir.

Dica Palco KH
No exciter/compressor temos a opção mute/solo.
Uma coisa legal desses dois módulos que podemos isolar essas freqüências ou qualquer outra que decidirmos. Se você colocar a função “solo” poderá acertar o threshold e o ganho que essa freqüência vai ter, daí é só soltar do solo e ver resultado. Com a opção “mute” podemos varrer em busca das freqüências que nos atrapalham e corrigi – lás. A opção delay em ms (milisegundos) pode “forçar” o som entrar em fase caso ele esteja fora da mesma.

5)Loudness Maximizer (4:55)
Essa função irá “expandir o volume do som” e o final da cadeia de todo plugin. Uma coisa curiosa que ela possue uma função chamada “auto normalize” que expande o som dependendo a densidade dele. A função “threshold” mostra quanto volume teremos a partir de tantos dB (0 dB para suave e – 10 dB para pesado) na entrada do sinal. Margin é a saída do sinal (geralmente fica em 0 dB). “mode” é uma série de algoratimos que atua da seguinte maneira: soft (que cria leves click), brickwall (que cria um espaço vazio entre a entrada e a saída do sinal) e intelligent (que analisa o som e decide entre os dois modos) e “prevent samples clips” garante que o som não irá clipar.

Dica Palco KH
Cuidado com valores extra fortes como – 6 dB e – 10 dB no threshold. Esses valores aumentam o som, mas puxam todas as impurezas juntas. Tenha certeza que seu som está bem tratado. Tente deixar na opção “fast and smooth” pois assim evita o “enquadramento” da onda.

6) Multiband Stereo Imaging – Campo estéreo (5:43)
O último módulo, é um “stereo enhancement”. Ele pode ser o retoque final do seu master e o que pode diferenciar seus som, pois muitas vezes numa gravação comercial aquele estéreo maravilhoso (que lembra um reverb) na verdade é isso. Para isso, ele funciona como o exciter e o compressor, tem suas bandas pré definidas. Quanto mais aumentar numa banda mais estéreo ela terá. A “função delay”, controla o rastro do módulo no campo estéreo.

Dica Palco KH
Procure alternar as freqüências quando usar esse módulo:
Graves para esquerda, médios no centro e agudos na direita e supreenda com o o resultado. Não use delay “linkado”, exprimente colocar tempos diferentes nos pans. Baixe o delay calculator (na seção de download aí do lado) e mãos a obra!


7) Tela do plugin
Tela de apresentação do plugin

8) Level
Nível de entrada do plugin.Na versão 4 ainda existe a função “amount” que dá ganho nos módulos.

9) Presets
Ajuste de fábrica e usuário

10)Bypass
Desativa ou ativa o efeito.

Ótimas gravações!!!

Um comentário:

Tiago Suavenave disse...

Muito boa sua explicação. Valeu!