segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Mixagem dando força aos graves!

Um dos problemas que encontramos quando trabalhos com baterias e baixo VSTi, Midi, Loop ou sample é a dificuldade de dar “gás nos mesmos”. Mas existe um truque muito usado em gravações que costuma funcionar bem. Funciona da seguinte maneira: duplicamos as pistas, colocamos em AUX separados e fazemos uma ficar mais grave que a outra. Vamos as etapas:


1)A importância dos graves.
O erro mais comum é achar que os graves são opcionais ou que não precisa de muito para gravar. Isso acontece porque em muito tutorias na internet, dizem para “baixarmos os graves e aumentar os agudos” e não é bem assim. O grave em qualquer música é que “dá corpo” a mesma, por isso é tão importante saber mexer com o mesmo. Se você colocar uma música eletrônica num volume colocando a mão no chão sentirá ele tremer, pois o mesmo está recebendo a densidade dos graves. Essa é função do grave, dar densidade a música, força. Dizem que “a música se divide: ritmo corpo, harmonia cabeça e melodia alma”. Uma mixagem podemos dividir em “grave força, médios corpo e agudos detalhes”.

2) Quais os plugins que reforçam os graves?
Teoricamente, não é muito bom a gente pegar uma freqüência grave “exemplo 30 100 Hz” e aumentar com um “low self” num equalizador. Isso porque como o equalizador trabalha com volumes, pode dar problemas (o grave é o que mais cobre freqüências nas gravações) porém existe plugins chamados “bass enchacer” que fazem essa função: aumentar a “densidade dos graves”. Os mais conhecidos desses plugins são Waves Rbass e Waves Max bass. Porém podemos aumentar os graves um um compressor multi banda, mas não é muito aconselhado.

3)Reforçando os graves

Muitas vezes, uma pista pode não definir nossos graves, por isso existe um técnica de “overdub” bem manjada para isso:

A)Grave seu baixo e grave o bumbo.

B) Duplique as pistas tanto do grave quanto a do bumbo. (crie duas novas pistas pra isso, copie e cole).

C) Crie 2 Aux: de para o 1º o nome de Sub grave (ou qualquer outro nome) e para o 2º Grave.

D) Coloque de plugin no Aux 1 o bass encancher (ajuste a gosto) e um delay no tempo da música (você vai precisar calcular o delay baixe o calculador na seção download).

E) No Aux 2 coloque o bumbo e o baixo original.

F) Na pista do bumbo original use um equalizador paramétrico e corte tudo abaixo de 80 Hz, deixe flat até 200 Hz, corte tudo após isso em 5k use um “notch” para puxar as freqüências aí perto, ficará mais ou menos assim.

G) Com baixo original faremos parecido, porém cortamos tudo abaixo de 60 Hz, deixamo tudo flat até 300 Hz e aumentamos ou diminuímos a gosto após 1 kHz.

H) Com a cópia do bum nós vamos fazer a mesma equalização do bumbo original, porém vamos cortar tudo abaixo de 40 Hz, fazer um “buraco” de 150 Hz a 6 kHz e dar um “high self” flat após 7 kHz. Ficará com um sorriso.

I)A cópia do baixo pode deixar tudo em flat, porém devemos cortar tudo abaixo de 35 Hz.

J) No Aux 1, pegue o e regule o plugin de “bass enchancer” para atuar após 35 Hz mas não o deixe passar de 100 Hz. Zere o plugin, e vá aumentando até os graves do AUX 1 casarem com os graves do AUX 2. O delay no AUX 1 coloque no tempo da música.

M) No Aux 2, coloque um plugin gosto.

Dica: se for usar VSTi não duplique as duas pistas. Faça uma pista normal, e outra uma oitava abaixo. Com isso, você usará bem menos o “bass enchancher”.

Boas gravações!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!