segunda-feira, 22 de março de 2010

Gravando a Guitarra: A vez de usar plugins

Para os guitarristas, volto a falar do nosso velho tormento: o timbre da guitarra principalmente em gravações com guitarras distorcidas. Esse assunto já comentei nessa postagem porém em conversa com o produtor e guitarrista Paulo Assis o mesmo me deu uma resposta sobre a gente ficar “tentando” acertar um timbre de guitarra numa gravação de home Studio:
“ Rafael! Eu estou convencido que um plug-in bem utilizado fica melhor numa gravação caseira do que tentar gravar um valvulado de qualquer maneira, com microfone inadequado etc. Abraço!” por isso aqui vou abordar especificamente a gravassão de guitarra usando plugin.

1)Como gravar?
Para você gravar uma guitarra no computador, não basta apenas liga-lá no line in e gravá-la como já tinha comentado antes, existem 3 maneiras:

A)Pegue a guitarra use um pré-amp (pode ser uma pedaleira somente com compressão) grave o som o mais limpo possível, e depois passe o plugin que quer em cima do som.

B)Se você tiver uma placa interna profissional , adptador guitarra/USB (link) (muitas pedaleiras atuais possuem) ou uma placa externa USB, você pode gravar em tempo real o plugin, porém é necessário usar o driver Asio (link) e o mesmo tem quer ser “stand alone” (roda por conta própria) ou VST Host (programa que roda VST em stand alone)

C)Placas amadoras com driver asio conseguem rodar stand alone apenas sons limpos, o sons distorcidos até saem mas com muito latência .


2)Quais são os plugins?
Plugins como Guitar Rig, Amplitube e Revalver são ótimos pois possuem função “stand alone” ou seja, você pode tocar o mesmo e gravar direto sem precisar “passar” os mesmos em cima de um som já gravado.Mas se você tem um plugin VST somente ou você o passa no som ou grava em Stand Alone usando um VST Host como Bidule ou Cantable, nesse caso o Revalver MK3 ou MK2 é interessante pois possuem internamente um VST Host. Uma coisa que já notei é que passando o plugin em cima do som limpo gravado, na conversão o som costuma perder alguns DB de som que não chega a -1 DB, seria na faixa de 0,1 db ou 0,2 Db além de abafar um pouco o som que precisa ser compensado com equalização. Gravando em tempo real não acontece isso.


3)Técnicas
Como não sei o que você tem disponível, vou mostrar abaixo o que uso para gravar minhas guitarras em tempo real com um plugin stand alone ou VST Host (clique na figura para ampliar).

Computador (Audigy 2) - Fast Track - Mic 100 - Vamp 2 - Guitarra

Claro que essa “novela” seria evitada se eu tivesse uma placa professional mas por enquanto faço assim, com resultados bem satisfatórios, aqui na música “Tua é uma gata” (link) você pode conferir o resultado.



4)Simulação
Uma das coisas legais de plugins para guitarras é que muitos simulam além dos amplificadores, caixas acústicas, compressores, pedais, microfones, ECT....
Por isso mesmo você tendo um set de pedais ou uma pedaleira simples você pode fazer excelentes combinações com resultados muito satisfatórios. Num dos meus trabalhos não acertava nunca o timbre da guitarra solo e sabe o que fiz? Coloquei por primeiro um Boss DS1 depois com a vamp (usei a simulação de Roland Jazz Chorus usando caixa 4x12) e no plugin usei outra simulação de caixa 4x12 com microfones Shure 58 e AKG e ainda um rack harmonist para simular várias notas ao mesmo tempo, o resultado foi muito bom!
Já fiz gravações nesse estilo usando um carbon overdrive (link) e uma Zoom 505 II (link) somente na compressão e no noise gate e depois coloquei um plugin de vst simulando um Marshall Plexi no canal limpo, o resultado você confere no vídeo abaixo:



5) Plugins gratuitos
Um Guitar Rig official custa uns R$900,00 assim como um Amplitube, porém há plugins gratuitos que não devem nada aos pagos. Nesse site você encontra vários deles. Destaco os seguinte plugins gratuitos:

Guitar suíte: um grupo de programadores/músicos recriaram com perfeição Boss DS-1 (Distortion stompbox), Boss SD-1 (Super Overdrive stompbox), Tube Screamer (Overdrive stompbox), Oberheim PS-1 (Phaser stompbox), Univox Univibe (Modulations stompbox), Fender Twin 1969 (Guitar amplifier) e Marshall JCM900 Dual Reverb (Guitar amplifier).Eu uso quase sempre e nunca me deixam na mão.

Free amp: simulações muito boas de amplificadores e pedais. Interessantes posições de microfone.

British Valve Custom: A Studio devil fabricante dos plugins Amp pro e Guitar Amp disponibiliza gratuitamente esse plugin, que simula de Plexi a JCM 800muito parecido com “stack 4x12” real, graça a uma tecnologia exclusiva da empresa de simular válvulas. Já me salvou muitas vezes.

Juicy 77: um plugin que deveria usar mais com freqüência, pois além da gratuito consegue imitar stack Mesa Boogie, Soldano e Marshall próximos ao original.

Porém um plugin gratuito obrigatório pra quem gosta de música pesada (heavy metal, trash, balck, new) é o Extremist que mesmo sendo gratuito, nunca vi um plugin que forneça uma “distorção seca e direta”, por exemplo, da para tirar “Power chords” como Pantera (link)! Show demais!
Esses plugins não vem com um setup de instalação, por isso basta descompactar e copiar o *.DLL para o diretório C:\ARQUIVOS DE PROGRAMAS\VSTPLUGINS e divirta-se!Lembrando que para eles rodarem em “stand alone” você precisará de um VST Host.

5)Plugins comerciais
Eu vou falar aqui dos três plugins comerciais mais usados ultimamente pelos estúdios:

Natives instruments Guitar Rig: na opinião o melhor deles. As opções são muitos de cabeçotes, combos, caixas, microfone, pedais entre outras opções. Suas simulações satisfazem na hora.



Prós: Simulações de Mesa Boogie, Pro co Rat , Dime Distortion Sansamp, Vox AC30, Jazz Chorus, caixas as acústicas e microfones.
Contras: Plugins de distorção tendem consumir muita CPU. A versão 3 ainda é a melhor.

IK multimedia Amplitube: esse foi o primeiro simulador de verdade de guitarra em VST, antes dele todos os outros eram apenas idéias. Existem o Amplitube (a versão 1 uso sempre) , Amplitube Metal, Amplitube Jimi Hendrix, Amplitube fender (a simulação de Metal Head é sensacional) e o novíssimo Amplitube 3 (pra mim a melhor simulação de Jazz Chorus num plugin). Suas simulações de Marshall são melhores até agora, porém sua sessão de caixas e racks digitais soa imbatíveis.



Prós: Ótimas simulações de AC Vox, Fender, Marshall, Peavy 5150, Fender MetalHead, racks, caixas e pedais. A versão 3 se destaca por ter regulagem de memória em uso (alta, média ou baixa). a ferramenta X-GEAR junta todas as versões do amplitube disponíveis em seu computador
Contra: Plugins de distorção tendem consumir muita CPU assim como a junção de vários efeitos juntos,. Difícil fazer a vesão 3 rodar o stand Alone.

Aliens Conecttion and Peavey Revalver MKIII: O que mais impressiona nesse plugin são as simulações Peavey, iguais a dos amplificadores originais (já que a mesma os fábrica) porém o mais impressionante enquanto os outros dois (guitar rig e amplitube) sempre deixam sua CPU em 70% esse nunca vi nesse plugin a CPU passar de 50% isso num Pentium 4! Ele ainda á um VST Host (roda vst) e também vale a pena brincar com sua seção de montagem de caixas e falantes e válvulas.



Prós: Simulações peavey e JCM 900 e pré amps (o único plugin com isso), construção de ampli e caixa, baixo uso de memória.Existe uma versão chamada portabile que descarta o uso da biblioteca VST.
Contras:Difícil de fazer presets, os pedais são muito complicados. Pouca regulagem de caixas acústicas.

Você pode baixar as versões demo com o link indicado em cada plugin ou dar um bico nesse site:
Audiojunk.net

6)Equalização
Como sempre a equalização de guitarra é um problema... Em breve irei escrever uma postagem sobre isso. Você deve considerar umas coisas antes de sair fuçando na mixagem de um plugin de guitarra:

Assim com VSTi, um plugin de guitarra é feito com “impulse”. Impulse é um arquivo *.WAV de algo pré gravado que faz matematicamente as notas da sua guitarra soar no plugin, tecnicamente é como a “sampleação” de instrumentos nos sintetizadores: pega-se o som cru do instrumento e se coloca nas teclas.
Como o som vem por impulse isso quer dizer que ele é pré gravado, por isso muitas vezes as regulagens que você faz no plugin não fecham com o som que você quer. O Amplitube 3 nesse ponto ainda é o melhor. Muitos músicos famosos andam criticam as simulações de Marshall!
Uma das vantagens de se gravar com o plugin que o som soa como um VSTi, sendo mais fácil de compensar o velho problema entre a gravação analógica e digital
Cuidado ao equalizar!Lembre-se que as freqüências já estão pré gravadas.

7) Considerações finais
Aconselho a você ver vídeos espalhados no you tube sobre os plugins de guitarra, algumas coisas são realmente impressionante. Uma coisa já me convenci: depois de testar o Guitar rig 4, Amplitube 3 e Revalver MK3 o número de guitarristas usando laptop logo vai aumentar nos shows... Mas não espere que seu som fique igual ao do Steve Vai (link) o que falo aqui foi o que o Paulo Assis disse:
“É melhor usar plugin do que ficar chutando o que fazer com o som”

Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!