terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Análise de músicas famosas: Crazy little thing called Love – Queen

Tocando na noite eu e muitos músicos tiramos um monte de sons de diferentes bandas. Pois então, já que passamos muitas vezes horas pra tirar uma música, por que não passar o que ouvimos nela? Pois bem, aqui vou passar minha análise pessoal dessa música.

A história:
Freddie Mercury compôs a letra no violão em apenas 10 minutos um hotel! Ficou em primeiro lugar no raking de muitos países incluindo Inglaterra, Austrália, e nos EUA.



Guitarras Base

Brian May gravou a musica com uma Fender Telecaster e possivelmente um Fender Twin ou similar, fugindo da sua famosa combinação Red Special e A/C Vox 30. No lado esquerdo também podemos ouvir um Violão 12 cordas, porém não faço a mínima idéia qual é. Freddie Mercury aparecia nos shows tocando essa música com um um modelo similar ao Takamine, ele ajudou a gravar o violão da música.

A harmonia é um estilo de country rock bem simples, sempre essas notas.

Primeira parte e segunda parte

D C C/B G
This thing, called love, I just can't handle it,
D C C/B G
this, thing, called love, I must, get round to it,
D A# C D
I anit ready, Crazy little thing called love.

O D (ré) não é um ré normal, ele fica intercalando entre D e Dsus4, como mostra a figura abaixo:

A música está em no campo harmônico de D, porém A# e C estão no campo de Dm . Aqui temos um um “empréstimo” das notas do campo menor para o campo maior. Um truque muito comum no Blues, Rock e pop.

Refrão

G C G
There goes my baby, she knows how to rock and roll,
Bb E A
She drives me crazy, she gives me hot and cold fever,


Aqui a única coisa de diferente além do empréstimo maior é um preparação para cair na nota A. O acorde E (Mi maior) Prepara a mudança para A (lá). Lembrando que E em D ou Dm sempre Em(Mi menor). O E (Mi maior) foi emprestado do campo de A.


Guitarra Solo e arranjos

Dessa vez esquece aqueles solos trabalhados de Brian May, ele optou por um solo bem simples, só trabalhando com a pentatônica de tons inteiros e alguma passagem de blue note e provavelmente pelo timbre é uma Fender Telecaster e o amplificador é algum um modelo da Fender (talvez o Tweed Champ). Uma das coisas que notei que a base que compõe o solo é A# C G e depois A# E A diferentes das bases que compões a música. O solo está no link abaixo:

http://cifraclub.terra.com.br/queen/crazy-little-thing-called-love/

O solo original foi gravado por Freddie Mercury, porém essa gravação se perdeu.

Baixo

O baixo padrão de John Deacon era sempre um Fender Jazz ou Fender Precision. Não sei dizer que baixo ele usou na gravação, mas nos shows ele sempre aparece com um dos dois baixos citados. O mesmo pode ter gravado alguma parte da guitarra ou violão pois tocava também esses instrumentos.

A linha do baixo é uma muito comum no rockabilly e country rock, é o fomoso “tun-tun-dunt-tun”, ou seja sempre seguindo o arpejo da nota, como no exemplos abaixo.

D – D F# A
C – C E G
C/B – B E G
G – G B D


Link para o Baixo

http://cifraclub.terra.com.br/queen/crazy-little-thing-called-love/tabs-baixo/

Bateria

É uma coisa que foge totalmente do meu conceito. Porém pra mim é estilo normal 4/4 country rock talvez com alguns momentos de 2/4. Roger Taylor fazia uma mistura de kit em sua bateria:
O Xipo era Zildijian, a maioria das partes eram Ludwing e pedal era Sleishman.

Link para a bateria

http://cifraclub.terra.com.br/queen/crazy-little-thing-called-love/tabs-bateria/

Vocal

Para Freddie Mercury é um vocal normal e sem precisar usar o máximo do seu alcance de voz como na músicas Radio gaga ou Under Pressure. John Deacon, Brian May e Roger Taylor fazem os back vocals. Todos fizeram o som de palmas na música.

Vídeo da Música:



Posição da gravação

Até onde percebi, a banda mixou usando o famoso “padrão de palco” que é o padrão clássico de mixagem:
Bateria (com as peças posicionadas como num show) no meio, Baixo no meio, guitarra base no lado direito, violão 12 cordas no lado esquerdo, solo no meio, vocal no meio.

Truques

Para fazer um som grande na música ao vivo, deixe a guitarra na afinação normal e o violão (se no caso for de 6 cordas) na afinação Drop D (DADGBD) o som parecerá grande. No caso de usar o teclado, peça para o tecladista colocar algum timbre de piano. Há espaço suficiente para a guitarra e a bateria fazer belos arranjos, porém cuidado com o compasso pois ele é rápido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!