sábado, 5 de novembro de 2016

Produção: A difícil arte de promover.....(revisada)

Vi um comentário bem interessante de Bruce Dickson (vocalista da banda de metal Iron Maiden) a respeito da "fama repentina" hoje em dia.

"Agora você pode se tornar famoso apenas sendo estúpido, mas realmente, as pessoas devem ser famosas por fazer algo, por criar algo real"

Isso caiu exatamente como uma "luva" sobre tudo o que penso desses "fenômenos da internet"!
Na verdade isso é só uma prova como algo mais "audio visual" chama muito mais atenção do que somente o "áudio" atualmente e essa geração (nascida no anos 90 pra cá)  está fera em criar isso pois é o momento deles.
O lendário Bruce Dickson
 Na minha opinião pessoal ao meu ver hoje em dia há muito mais gente criativa e estudada do que antes, mas se você é daquele "tipo critico" que acha de desde 1980 a música vem caindo de "qualidade" de uma maneira incrível, posso dar uma pista do que está acontecendo.
São vários fatores: primeiro hoje em dia os alunos de música estão mais estudados graças a informação disponível (vídeo aula, internet, professores), podemos gravar um CD (ou até mesmo DVD) completo sem sair de casa e coloca-lo na internet e ainda fazer o registro completo sem sair de casa, podemos tocar nosso som em show mas porém e promover o mesmo.
Isso teoricamente seria o jeito mais fácil de chamar atenção e não duvide se essa tecnologia estivesse disponível lá nos anos de 70, 80  e  90 que foi a maior "onda de criação musical" que o século XX teve teríamos muito mais gente e bandas famosas que hoje.
Porém ao mesmo tempo que ficou mais fácil mostrar o seu trabalho por outro lado ficou mais difícil de se destacar e isso porque hoje dia tudo está movido a "views" e "like" algo que canso de comentar por aqui e ainda mais da forma que as coisas aconteceram.
        Você já se perguntou porque o funk e o sertanejo se destacaram mais no you tube que os outros estilos e que músicas muito melhores que você ouviu?
Pelo simples fato que além de serem a "balha da agulha" naquele momento também tinham outra vantagem: custo de gravação quase zero ou seja... Eles investiram bem menos na produção do som mas em compensação capricharam valendo no visual e o resultado é que muita gente prefere ver "mulheres rebolando" num funk ou sertanejo mal gravado do que num rock, reagge, MPB ou outro estilo com "alta produção e qualidade sonora".

      Se isso pra mim já uma pancada na cara (eu fiz parte daqueles malucos que estudavam guitarra até 18 horas por dia) imagine para aquele seu amigo "super-mega-fodástico músico" que você conhece!
O funk você só precisa da batida básica (que tem até aplicativos de celular que fazem isso) e para gravar sertanejo, uma dupla e um deles que toque somente o "básico" do violão e façam bem a "primeira e a segunda voz" já está bom, ao contrário de um rock rock, reagge que precisa de uma banda toda em volta. Já a MPB também pode ser tocada em dupla mas um deles tem que ser um bom violinista já que ela envolve coisas bem complicadas como sincope, contra tempo, tétrades, harmonia implícita só para citar alguns dos elementos.
Tipico video de funk!
Claro que isso não é motivo para abandonar seu estilo porque essas duas modas já tem mais de 10 anos e isso que dizer que daqui a pouco algo a maré vai mudar e quem sabe seja ao seu favor. O que questiono aqui é como você pode se promover e se dar bem com sua música mas esteja ciente que não importa o que faça você tem que dar atenção pra duas coisas: tanto quanto para o áudio e tanto quanto para o vídeo.
Muitas vezes um vídeo pode ser o caminho do sucesso basta ver o que anda acontecendo nos programas da TV aberta nos domingos (tudo pela luta de audiência) pois a "mídia de massa" endeusa" quem é famoso por isso todo mundo quer "seus 15 minutos de fama"  e por isso muita gente acha que o dinheiro fácil (lucro fácil) vem com a fama mas porém se esquece da regra básica de hoje em dia: ser diferente e  por isso  entra outra questão: O produtor musical.
De início, o produtor musical não vai pegar você ou sua banda e ter "dar dinheiro" para tocar e gravar pois quem faz isso é o empresário e a gravadora, o que o produtor irá fazer é transformar sua música em produto que possa ser vendido seja "comercialmente" ou não, por isso o interessante desse livro que mostra todas a etapas que um produtor faz.
 Muitos produtores (principalmente os famosos) não trabalham com qualquer coisa e não aceitam qualquer contrato, outros aceitam qualquer contrato e conseguem transformar "chumbo" em "ouro" com apenas um $mê$.....E por mais que tem gente que bata o pé pra dizer que "isso está em extinção" o produtor ainda é o caminho mais curto para uma boa gravadora e bom empresário.
 Outro lado da moeda é "se auto promover", daí não tem jeito a única maneira é fazer show entre côvers e suas composições, vender para os amigos e conhecidos o CD feito em casa, criar blog ou site e se hospedar em site de músicas independente porque você pode ter a sorte (é como ganhar na loteria) de alguém ver e gostar da sua música, mas não se iluda: aquilo que nós vemos nos filmes que o cara toca uma música e um empresário ouve e gosta e ele começa a fazer sucesso,isso sim está praticamente "extinto", por isso você precisa fazer sua música "ecoar" de algum jeito por todo lugar!


Ótimas gravações!

Postado por:
Rafael o KH
Autor do blog Palco KH!
Músico e Técnico em T.I
OMB:13850
Contato:
rafael.kh@gmail.com


Obs: A maior parte vem de uma postagem de  17 de novembro de 2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acreditamos sempre na liberdade de expressão e na troca de ideias!
Por favor pense antes de comentar!
Se está com alguma dificuldade coloque o e-mail para podemos responder com mais clareza! Abraços! Ótimas Gravações!